Descrição de chapéu Folha Verão

Trilhas levam turistas a praias desertas em Florianópolis

Grupos se reúnem por redes sociais para desbravar joias naturais da ilha

Florianópolis

As festas à beira da praia de Jurerê Internacional ou os pratos na orla da Lagoa da Conceição são programas turísticos óbvios para quem resolve passar o verão em Florianópolis. Mas a capital de Santa Catarina tem opções que vão além do beira-mar. A ilha guarda joias da natureza para os aventureiros. 

Grupos de trilheiros levam turistas para conhecer cada pedacinho intocado insular e não cobram nada por isso. 

Eles se organizam com dias de antecedência por redes sociais e aplicativos de mensagens e saem praticamente todos os fins de semana. Para participar, basta ir até o local combinado, respirar fundo e encarar o desafio. 

Não há uma agenda prévia e a cada oportunidade o destino é diferente, o que torna a aventura ainda mais bacana. A busca sempre é por praias isoladas, ou por visuais de deixar qualquer coração aventureiro palpitando de emoção.

A reportagem acompanhou o passeio organizado por um destes grupos, o Trilhas Floripa. Partindo do Pântano do Sul, no extremo sul da ilha, o destino era a famosa Lagoinha do Leste —considerada uma das praias mais bonitas do Brasil— e o temido Morro da Coroa, um dos mirantes mais incríveis da capital catarinense.

O passeio começou pontualmente às 10h de um sábado. Água, protetor solar, roupas leve e bons calçados para caminhada são itens essenciais para não sofrer no caminho, que não é dos mais simples. 

Considerada uma das trilhas mais puxadas de todo o roteiro de praias intocadas em Florianópolis, a rota exige algum condicionamento físico de quem vai encarar seus morros —ainda que não precise ser nenhum atleta.

Geralmente os grupos têm entre 10 e 20 pessoas. Segundo o guia Gustavo Aguiar, há gente de todas as idades, locais e turistas, todos em busca de novas aventuras. 

Durante a semana, ele é bancário e conta os minutos para enfiar o pé no barro e levar a turma de aventureiros. 

“Comecei em 2007, mais ou menos. Na época não conhecia nada e me interessei pelo  grupo, que ainda funcionava no Orkut. A partir de então venho sempre que possível. Fiz ótimos amigos e gostei tanto que me tornei administrador. Hoje levo vários grupos para diferentes trilhas pela ilha e também fora”, conta Aguiar.

O gaúcho Vitor Marcelo Soares foi o novato da vez no grupo. De Caxias do Sul (RS), o representante comercial vem com certa frequência para Florianópolis a trabalho. Em busca de novas amizades, resolveu encarar a subida para conhecer a praia e o mirante. 

“É a minha primeira trilha da vida. Nunca havia me interessado. Encontrei no Facebook e decidi aproveitar. É uma ótima oportunidade de fazer um bom exercício físico e novos amigos”, disse. 

Foi cerca de uma hora de caminhada na trilha até o topo do Morro da Coroa, primeira parada do passeio. Ao chegar lá, todo o esforço foi recompensado. A brisa do mar lava todo o suor do rosto e a sensação é sem igual. 

Depois de uns 40 minutos lá em cima, foi a vez de aproveitar a praia, que estava até cheia para seus padrões, diz. O mar é um pouco agitado, mas quem preferir pode relaxar nas águas calminhas da lagoa que dá nome ao local. 

Para Cristina Pereira, as trilhas viraram também superação. No grupo há mais de um ano, ela mal encarava caminhadas leves.

“Decidi que 2019 faria mais trilhas. Fiz algumas e para o ano que vem espero participar de mais. Foi uma meta que tracei no ano passado e que cumpri”, comemora a catarinense de Brusque.


Quem leva

Trilhas Floripa 
facebook.com/groups/trilhasfloripa

Floripa Trekking 
floripatrekking.com.br

O QUE LEVAR PARA A TRILHA?

  • Tênis que aguente o tranco. Não tenha apego. Vai sujar
  • Água, 1 litro no mínimo
  • Protetor solar e/ou repelente
  • Toalha de rosto
  • Câmera fotográfica
  • Espírito coletivo
     
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.