15 meses após inauguração, trem para Cumbica que pode ter até 2.000 pessoas circula com 35

Trem expresso, que liga o centro da capital paulista até aeroporto, não utiliza nem 2% de sua capacidade

São Paulo

Dia 6, primeira segunda-feira de 2020. O relógio marcava 11h57, e o trem surgia na plataforma da estação da Luz, no centro de São Paulo.

Não havia filas. Não havia tumulto. Não havia correria. Apenas 36 passageiros aguardavam pela chegada da composição. As portas fecharam ao meio-dia. É hora de o trem seguir para a sua segunda viagem do dia até o aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (Grande SP).

Vagões vazios do Expresso para Guarulhos nesta segunda-feira (6)
Vagões vazios do Expresso para Guarulhos nesta segunda-feira (6) - Bruno Santos/Folhapress

Os 36 passageiros não ocuparam nem os 40 assentos disponíveis em um dos oito vagões. Deu para viajar sozinho num vagão inteiro, limpo e climatizado, esticar as pernas e dormir no trajeto, que dura cerca de 30 minutos, sem paradas e com seguranças circulando pelo corredor.

Na volta, a Folha pegou o Expresso das 15h e viajou com outros 35 passageiros até a Luz. 

A situação presenciada pela Folha ocorreu num dia em que Cumbica recebeu cerca de 145 mil passageiros, um pico nessa época do ano provocado pelas férias escolares. O número leva em consideração o total de pessoas que circularam pelos três terminais em voos que chegaram e decolaram do aeroporto.

A GRU Airport, concessionária responsável pela gestão do maior terminal aeroportuário do país, não informou quantos desses passageiros ficaram em São Paulo.

Mas nem a comodidade e a alta demanda de Cumbica fizeram o serviço da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) decolar. Até agora, o Expresso vem atraindo pouca gente.

Em 2019, atingiu uma média de 350 passageiros ou 35 ocupantes em cada uma das dez viagens (ida e volta) que faz nos dias úteis. Um trem da CPTM possui 320 assentos; incluindo quem viaja em pé, pode transportar até 2.000 pessoas.

Como o serviço expresso foi criado só em outubro de 2018, não é possível fazer uma comparação anual.

A linha 13-Jade da CPTM, da qual o Expresso faz parte, custou R$ 2,3 bilhões, valor pago com financiamento do BNDES e com dinheiro da Agência Francesa de Desenvolvimento e do Banco Europeu de Investimento. 

O economista Flávio Roberto de França Júnior, 56, é um habitué do Expresso. Falou com a Folha sentado sozinho num vagão e com o laptop ligado. “É muito barato, limpo e seguro. Eu aproveito os 30 minutos da viagem para trabalhar já daqui.”

“Mas não é um serviço de primeiro mundo. O ideal seria ter um trem já ligando o aeroporto de Congonhas [doméstico] a Guarulhos”, diz. “O intervalo entre as viagens deveria ser menor. Isso atrapalha muito”. Hoje, são duas horas entre uma viagem e outra, nos dois sentidos.

A assistente social Jaqueline dos Santos, 36, e o marido, o eletricista Roberival Silva, 41, viajaram no trem do meio-dia porque ficaram com medo de pegar o próximo, das 14h. O motivo: o voo do casal para Maceió (AL) era às 15h. “[O trem] deveria sair de 30 e 30 minutos. A gente tem que chegar muito antes no aeroporto por causa desses horários mais espaçados.”

O Expresso foi inaugurado em 16 de outubro de 2018. Liga o centro da capital paulista ao aeroporto de Guarulhos em viagens diretas. Nos feriados e nos finais de semana, são três deslocamentos em cada sentido. 

Rumo ao aeroporto, o primeiro trem parte às 10h. No sentido contrário, às 9h. O bilhete custa R$ 8,80 —o dobro do valor cobrado no serviço de transporte sobre trilhos nas demais linhas. Quem está no Metrô, precisa desembarcar na Luz e comprar o bilhete exclusivo do Expresso.

Mas o maior problema do serviço, apontado por Jaqueline e Roberival, é a falta de conexão direta entre o trem e os terminais de Cumbica.

Os 36 passageiros que estavam na viagem acompanhada pela Folha desembarcaram na estação Aeroporto (última da linha 13-Jade), que fica do outro lado da rodovia Hélio Smidt. Com malas em mãos, atravessaram uma passarela e ainda pegaram um ônibus para acessar a área de embarque.

"Gera um incômodo, né. O absurdo de dinheiro que gastou nisso aqui e ainda tem que pegar um ônibus até o terminal. Já gera um transtorno", reclama Roberival.

A desconexão de modais em Cumbica rema contra uma política de mobilidade já consagrada nos maiores terminais aeroportuários do mundo. No aeroporto de Heathrow (Londres), o sistema de trens leva, em média, 17 mil passageiros por dia até os terminais de embarque.

Em Cumbica, a GRU Airport tenta suprir a ausência dos trilhos com ônibus até a construção de um monotrilho interligando a linha 13-Jade e os seus terminais. Sem a interligação, os passageiros precisam aguardar cerca de 15 minutos pelo transfer gratuito da concessionária em frente à estação Aeroporto. O circuito completo é de aproximadamente 7 km.

Da estação até o terminal 1 são 3 minutos. De lá, o ônibus leva mais 6 minutos para chegar ao terminal 2 (mais movimentado) e mais 3 minutos até o terminal 3 (internacional). Os ônibus possuem bagageiros, mas quando ficam lotados geram um transtorno a mais para quem carrega muitas malas.​

Em maio de 2019, durante o anúncio da nova ligação, o governador João ​Doria (PSDB) não poupou críticas à forma como os passageiros hoje fazem a interligação do trem para o aeroporto. 

Na ocasião, Doria disse ainda que, com o novo monotrilho, o passageiro teria uma ligação fácil entre o trem e o aeroporto de Guarulhos, como "qualquer aeroporto civilizado do mundo". 

O acordo prevê que a construção do monotrilho seja tocada pela GRU Airport ao custo de R$ 175 milhões, em troca de redução da outorga anual que a concessionária paga ao governo federal.

Ou seja, embora as empresas que farão a obra e a operação sejam escolhidas pela GRU, o governo federal é quem deixa de arrecadar para que o monotrilho exista. 

Linhas da CPTM Média da movimentação de passageiros por dia útil, em 2019 Média da movimentação de passageiros por dia útil, em 2018
7 – Rubi 459.013 445.675
8 - Diamante 497.994 483.297
9 - Esmeralda 591.780 590.941
10 - Turquesa 376.010 366.796
11 - Coral 675.036 725.307
12 - Safira 268.356 260.488
13 -Jade 15.607 9.628
Expresso Guarulhos 350 -

TREM PARA FUNCIONÁRIOS

Taxista há 25 anos em Cumbica, Maciel de Souza diz que a chegada do trem até as proximidades do aeroporto não impactou o seu negócio. "Minha clientela é de passageiros com muitas malas. Quem tem muita bagagem não pega o trem", diz.

Quem está se esbaldando com o serviço ainda que capenga são os funcionários do aeroporto. A vendedora Márcia Miranda, 48, diz que faz conexões entre as linhas da CPTM e só paga R$ 4,40 para chegar ao trabalho, uma loja de chás. "Melhorou muito a nossa vida. Não fico mais presa em engarrafamentos e é mais seguro andar no trem do que por rodovia", afirma.

O serviço expresso é uma das três possibilidades de se chegar à estação Aeroporto, de frente ao aeroporto de Guarulhos. Outra forma é utilizar o serviço Connect, que liga a estação Brás, no centro de São Paulo, ao aeroporto.

Neste trajeto, o trem não é expresso e para nas estações Tatuapé, Engenheiro Goulart e Cecap. O serviço já chegou a transportar 70% dos passageiros que chegam a Guarulhos de trens

O terceiro meio de se chegar ao aeroporto usando os trilhos da CPTM exige várias baldeações e trens. O passageiro deve pegar um trem até a zona leste; de lá, deve usar a linha 12-Safira para chegar até a estação Engenheiro Goulart e então fazer a transferência para a linha 13-Jade, a mais nova da CPTM.

OUTRO LADO

A CPTM informou, por meio de nota, que trabalha com a perspectiva de crescimento gradativo da demanda dos serviços já oferecidos. "O aumento de passageiros prosseguirá com a redução dos intervalos e a popularização da linha."

Já a GRU Airport disse, também por nota, que o projeto de construção do monotrilho entre a estação Aeroporto, da CPTM, e os seus três terminais "será analisado pela concessionária e, posteriormente, apresentado ao governo federal ainda no início deste ano".

Reportagem da Folha publicada em novembro de 2019 mostrou que o projeto de construção do monotrilho estava atrasado. A promessa é que a ligação esteja pronta até maio de 2021.

A companhia paulista de trens também reafirmou que estuda, no futuro, prolongar a linha 13-Jade até o bairro de Bonsucesso, em Guarulhos, e aumentar o número de viagens com destino ao centro da capital.

Até lá, precisará cumprir uma tarefa básica: incluir a 13-Jade no seu mapa de linhas. 

A Folha encontrou mapas desatualizados nos vagões. "Todos os trens que circulam nas sete linhas da CPTM terão os mapas atualizados com a Linha 13-Jade até o final do primeiro trimestre deste ano", disse a empresa.


TRILHOS PARA CUMBICA

Serviço: Express
Trajeto: Entre as estações Luz e Aeroporto, sem parar em estações
Tarifa: R$ 8,80
Tempo de deslocamento: cerca de 30 minutos
Horários: No sentido Aeroporto, os horários são: 10h, 12h, 14h, 16h e 22h. Nos finais de semana e feriados: 8h, 13h e 18h. No sentido Luz, são: 9h, 11h, 13h, 15h e 21h. Nos finais de semana e feriados: 7h05, 12h05 e 17h05

Serviço: Linha 13-jade (regular)
Trajeto:  Entre as estações Engenheiro Goulart e Aeroporto, parando na estação Guarulhos-Cecap
Tarifa: R$ 4,40 (valor de uma passagem do sistema de transporte metropolitano)
Tempo de deslocamento: cerca de 15 minutos
Intervalo entre os trens: Nos dias úteis, com intervalo de 20 minutos nos horários de maior movimento, entre 5h e 8h e entre 17h e 20h. Nos demais horários e dias da semana, em que há menor demanda de passageiros, o intervalo é de 30 minutos

Serviço: Connect
Trajeto: Entre as estações Brás e Aeroporto, parando nas estações Tatuapé, Engenheiro Goulart, Guarulhos-Cecap
Tarifa: R$ 4,40 (valor de uma passagem do sistema de transporte metropolitano)
Tempo de deslocamento: cerca de 35 minutos
Horários: No sentido Brás, são realizadas nos seguintes horários: 5h40, 6h20, 7h, 7h40, 8h20, 17h20, 18h, 18h40, 19h20, 20h e 0h. E, aos sábados, 5h40, 6h20, 7h, 7h40, 8h20 e 0h. Aos domingos, há uma viagem à 0h. No sentido Aeroporto, os horários em dias úteis são: 5h45, 6h25, 7h05, 7h45, 8h25, 18h05, 18h45, 19h25 e 20h05. E, aos sábados, 5h45, 6h25, 7h05, 7h45 e 8h25. O Connect não funciona aos domingos nesse sentido

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.