Número de mortes em decorrência das chuvas em MG sobe para 47

Defesa Civil aponta 101 municípios em situação de emergência por decreto estadual

Belo Horizonte

O número de mortes em decorrência das chuvas em Minas Gerais subiu para 47, segundo o boletim divulgado pela Defesa Civil estadual às 18h desta segunda-feira (27). O número de pessoas desaparecidas diminuiu de 18 para 4.

A contagem leva em conta casos registrados desde a última sexta-feira. Belo Horizonte contabilizou 13 mortes até o momento, seguido por 6 casos em Betim, 5 em Ibirité e 4 em Alto Caparaó. Outros municípios registraram entre três e uma morte. 

O decreto estadual de situação de emergência atinge 101 municípios, incluindo Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, que tem seu centro histórico tombado pela Unesco. Outros três municípios decertaram estado de calamidade pública.

Ao todo, 14.609 pessoas estão desalojadas e 3.386 desabrigados. 

A maior parte dos desalojados está na região metropolitana de Belo Horizonte —6.767 pessoas— enquanto o interior concentra a maioria de desabrigados —1.585.

Segundo o glossário da Defesa Civil de MG, desalojados são pessoas obrigadas a abandonar temporária ou definitivamente suas casas, em função de evacuações preventivas, destruição ou avaria grave, decorrentes de desastre, mas que não necessariamente precisam de abrigo providenciado pelo sistema. Já desabrigados dependem desse abrigo. 

Entre as 19h de domingo e as 7h desta segunda, o Corpo de Bombeiros de MG tinha entre os casos encerrados dois casos de desabamento, desmoronamento e colapso de estruturas, além de ter vistoriado outros 11 locais com riscos. Cinco casos de salvamento de pessoas ilhadas foram registrados.

Até a manhã de segunda, havia 18 casos de desabamento, desmoronamento e colapso de estruturas ainda ativos, assim como nove casos de enchente, inundação, alagamento e enxurrada e salvamento de dez pessoas ilhadas.

A previsão para esta segunda, de acordo com o Instituto Mineiro de Gestão de Águas, é que o tempo siga instável em todo o centro-norte do estado, com probabilidade de chuva acumulada em cidades como Governador Valadares, Aimorés, Ipatinga e Teófilo Otoni.

À noite, a zona de convergência do Atlântico Sul oscila em posição mais ao norte e ao sul.

Entre o fim da tarde de terça e a quarta-feira, a previsão é de acumulados expressivos de chuva, acima de 100 mm em 24 horas, em regiões como Ouro Preto, Barbacena, Juiz de Fora, Viçosa, Itabira, porção sudeste de BH e região metropolitana. 

A Agência Nacional de Mineração emitiu nota pedindo que a atenção às barragens seja estendida até sexta-feira (31), devido às fortes chuvas previstas para os próximos dias. Além de Minas, o alerta abrange Rio de Janeiro, Espírito Santo e Goiás.

A ANM pede monitoramento diário de estruturas e que, em caso de anormalidade, seja acionado o PAEBM (Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração), com notificação imediata do SIGBM (Sistema Integrado de Gestão de Segurança de Barragens). 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.