Descrição de chapéu Folha Verão

Neste verão, fuja da 'muvuca' do litoral de SP sem trocar de praia

Opções para quem quer descansar sem grandes deslocamentos não faltam

Praia de Calhetas, frequentada por quem procura fugir das praias badaladas de São Sebastiã Adriano Vizoni/Folhapress

São Sebastião

De repente bate uma vontade irresistível de se sentir sozinho no meio do verão? Se você estiver na muvuca das praias do litoral norte de São Paulo, isso é meio impossível. Mas dá para tentar.

Desgarrasse da multidão e aproveite praias e cachoeiras em um dos pedaços mais bonitos da rodovia que corta as praias da região.

A cerca de 15 minutos de Maresias, um dos mais procurados destinos de São Sebastião, Calhetas desafia o visitante a não querer passar o resto da temporada por ali mesmo. 

Entre o verde da Mata Atlântica e o mar que se abre a medida em que se aproxima por um acessível trilha pavimentada, duas faixas de areia branca e fofa, divididas por pedras e um morro cheio de palmeiras, espaço não falta mesmo em meio ao verão mais disputado.

A descida da rodovia Governador Mário Covas —a popular Rio-Santos— até a areia não leva mais do que dez minutos, fazendo de Calhetas o lugar ideal para o turista que não anda lá com aquela vontade de gastar horas —e sola de chinelo— por trilhas em meio à natureza. 

Uma enorme mansão marca a entrada da praia. Ali, em uma tarde de janeiro, um grupo de amigas cariocas debuta em areias paulistas. “É bem mais bonito do que eu esperava”, diz uma. “Ainda não vimos tudo, mas de Ubatuba para cá achei incrível”, garante a amiga.
 
A tarde já vai alta quando se dão conta que há ainda mais para ver por ali. Poucos metros antes da praia, uma pequena placa indica o caminho para a cachoeira de Calhetas. Indica, mas desencoraja os visitantes ao alertar que a água não é própria para o banho. Tudo bem, não é preciso se banhar.

Mesmo assim, a caminhada de cinco minutos vale a pena ao oferecer uma queda de cerca de 45 metros como recompensa para os olhos.  

Juntando praia, mata e cachoeira, Calhetas é apenas um dos destinos que fazem desse pedaço do litoral norte um dos locais mais visitados e que ao mesmo tempo está longe de ser “muvucado”. 
Mas atenção, há um inconveniente. Fácil é chegar a Calhetas, difícil é estacionar por ali. Aliás, difícil não, proibido. 

Como a entrada da trilha pavimentada é também a entrada do condomínio, não se passa por ali de carro e os motoristas costumam parar mesmo é na rodovia — o que pode render multa e pontos a mais na carteira de habilitação.  A melhor forma de aproveitar essa praia é mesmo pegar um táxi. 

Agora, se você é daqueles que prefere fazer tudo à pé, também partindo de Maresias, a trilha que leva até a praia da Paúba é uma opção fácil e com cenários deslumbrante.

São cerca de 2 km de uma ponta a outra, separadas por um pequeno morro, de onde é possível ter uma vista privilegiada das duas praias. Evite, porém, fazer a trilha se o terreno estiver molhado. Caso contrário, é possível fazer todo o percurso em pouco mais de meia hora. Vale o esforço, que não é tão grande assim. 

Se, ainda assim, você precisar mergulhar mais na natureza para se sentir só, a trilha do ribeirão Itu, em Boiçucanga, poderá oferecer-lhe isso.

Em trinta minutos, em um percurso sem grandes dificuldades, chega-se na cachoeira da Pedra Lisa, com cerca de 30 metros de altura. Além da queda, há um poço em que é possível nadar. 

Dali para frente, o percurso se torna mais íngreme e difícil. Vale evitar se seu condicionamento físico não anda lá essas coisas. A recompensa, no entanto, é cachoeira do Samambaiaçu e sua queda de água de 20 metros e também um poço para se refrescar. 

Depois disso, pode ter muvuca que for. Já valeu a viagem.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.