Descrição de chapéu Alalaô Rio de Janeiro

Prefeitura do Rio estima 6,4 milhões de foliões durante Carnaval

Cidade teve 162 blocos clandestinos; folia continua nesta quarta com nove desfiles

Rio de Janeiro

A Prefeitura do Rio calcula que quase 6,4 milhões foliões aproveitaram os quatro dias de Carnaval na cidade. No período, a prefeitura detectou 162 blocos clandestinos e diz que procura os responsáveis para cobrar multas. A festa segue nesta quarta (26), com mais nove blocos desfilando oficialmente.

Em balanço com dados disponíveis até as 10h desta quarta, a prefeitura diz que a Operação Carnaval foi considerada um sucesso, diante da ausência registros de incidentes graves. Ainda não há, porém, balanço da área de segurança pública com relação à violência no período.

Pela primeira vez, a prefeitura instalou grades e monitorou o acesso aos chamados megablocos, que desfilaram principalmente no centro da cidade. A decisão foi tomada após tumulto durante o pré-carnaval do Bloco da Favorita, em Copacabana, no dia 12 de janeiro.

"As barreiras de segurança instaladas nos megablocos do Centro funcionaram como o previsto, impedindo a entrada de ambulantes não autorizados, garrafas de vidro e outros objetos proibidos", afirmou a prefeitura. O esquema será mantido para os blocos do próximo fim de semana.

Na terça (25), último dia do feriado, o Fervo da Lud, da cantora Ludmilla, levou cerca de um milhão de foliões ao Centro, de acordo com dados da Riotur. No Aterro do Flamengo, na zona sul, a Orquestra Voadora reuniu cerca de 330 mil pessoas.

Durante os quatro primeiros dias, a Comlurb (Companhia de Limpeza Urbana) recolheu 554,1 toneladas de lixo. Na área do Sambódromo, foram 186,1 toneladas. Segundo a prefeitura, 886 foliões foram multados em R$ 607,54 por urinar na rua desde o período pré-Carnaval.

Os agentes da Guarda Municipal realizaram 13 prisões por suspeita de furto, lesão corporal, tráfico de drogas, desacato, desobediência e injúria racial. A fiscalização do trânsito aplicou 2.714 multas por diversas infrações e recolheu 1.785 veículos estacionados em locais proibidos.

A prefeitura diz que a Secretaria de Eventos acompanhou os 162 blocos que não tinham autorização para desfilar e está levantando dados dos organizadores. As multas, informou, serão proporcionais à quantidade de lixo recolhida.

A ameaça de multa a blocos clandestinos pelo CPF de seus organizadores foi motivo de brincadeiras entre os foliões e gerou o nascimento do bloco CPF do Crivella, que desfilou com o número do documento do prefeito em um estandarte.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.