Sargento da FAB preso com cocaína na Espanha vai cumprir seis anos de prisão

Militar foi detido em junho de 2019 com 39 quilos de cocaína em sua mala e fez acordo com Justiça espanhola

Madri e São Paulo | AFP

O militar brasileiro que foi detido em 2019 na Espanha com 39 quilos de cocaína, quando viajava como parte da tripulação de apoio do presidente Jair Bolsonaro, aceitou assumir a culpa nesta segunda-feira (24) e cumprir seis anos de prisão", informou um porta-voz do Judiciário.

"A Promotoria reduziu o pedido de prisão de oito anos para seis anos e um dia e a defesa do militar aceitou esta pena", afirmou o porta-voz do tribunal de Sevilha (Andaluzia), local do julgamento do sargento da Aeronáutica. Além disso, ele terá de pagar uma multa de 2 milhões de euros (R$ 9,7 milhões).

O segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, preso em Sevilla, na Espanha, por transportar cocaína - Reprodução Rede Social

O militar foi detido em junho de 2019 com 39 quilos de cocaína em sua mala quando fez escala em Sevilha em um avião de apoio da comitiva de Bolsonaro, que viajaria ao Japão para reunião do G20.

Manoel Silva Rodrigues fez ao menos 29 viagens no Brasil e no exterior desde 2011, várias delas com o staff presidencial.

Na ocasião, Bolsonaro classificou o fato como "inaceitável", exigiu uma investigação e "punição severa ao responsável".

A Força Aérea Brasileira (FAB), responsável pela segurança do avião, anunciou o reforço das medidas de controle para prevenir este tipo de ilícito.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, disse nesta segunda-feira (24) que o caso envolvendo o segundo-sargento da Aeronáutica foi um episódio isolado.

"Nossa Força Aérea vem prestando um serviço ao Brasil inestimável. Ontem mesmo estive em Anápolis, na liberação da quarentena dos brasileiros, e foi um trabalho da Força Aérea. O que aconteceu com esse militar foi isolado, jamais vai fazer sombra à atuação da Força Aérea. Ele deve ser julgado e punido, tanto na Espanha quanto aqui", afirmou.

Colaborou Marcel Rizzo, de Fortaleza

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.