SP registra morte de criança por sarampo, a primeira de 2020

Existem 246 casos suspeitos da doença no estado; em 2019 foram 14 mortes

São Paulo

A capital de São Paulo registrou a primeira morte por sarampo de 2020. Trata-se de uma criança que morreu no dia 1º de janeiro, mas os exames só confirmaram a causa na última semana, segundo a Secretaria Municipal da Saúde. Sua idade e sexo não foram revelados.

De acordo com o Centro de Vigilância Epidemiológica, nesta ano já são 246 casos suspeitos apenas no estado de São Paulo. Em 2019, o estado foi o mais afetado pelo surto de sarampo, com 17.552 casos confirmados e 14 mortes decorrentes de complicações.

No último dia 10, o Ministério da Saúde, em conjunto com estados e municípios, iniciou a primeira etapa da campanha de vacinação contra a doença de 2020.

O foco são os jovens de 5 a 19 anos que ainda não receberam as doses da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola).

Até o dia 13 de março, pessoas dessa faixa etária pode procurar qualquer posto do Estado, levando carteirinha de vacinação para que um profissional de saúde verifique a necessidade de aplicação da dose.

Excepcionalmente, a cidade de São Paulo aumentou em dez anos a idade limite para 29 anos, buscando aumentar a cobertura vacinal entre os adultos da cidade.

Desde o início dessa etapa da campanha, mais de 859,8 mil pessoas entre 5 e 19 anos compareceram aos postos no Estado de São Paulo, segundo a secretaria.

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba. É importante comparecer aos postos de saúde com a carteirinha de vacinação, para que um profissional verifique a necessidade de aplicação da dose.
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.