Em ano eleitoral, Bruno Covas redistribui cargos de sua gestão

Secretário de Cultura sai, podendo ser vice em chapa com o atual prefeito; nove subprefeituras são alteradas

São Paulo

Pouco mais de um ano após assumir a pasta no lugar de André Sturm, o secretário municipal de Cultura de São Paulo, Alê Youssef, deixará o cargo no dia 20, sexta da semana que vem.

Espera-se que ele entre para o partido Cidadania, colocando-se assim entre os postulantes à vaga de vice-prefeito na chapa de Bruno Covas nas eleições de outubro.

Youssef disse à coluna Painel que a tendência era que aceitasse um convite do partido “com o objetivo de fortalecer a defesa da cultura como eixo de desenvolvimento econômico e social do Brasil”.

Alê Youssef, que deixa a secretaria municipal de Cultura no próximo dia 20; é um homem moreno, com barba bem curta, vestindo terno preto, que aparece fotografado através de uma vidraça do prédio da secretaria,  no centro da cidade; ao fundo avista-se o Theatro Municipal
Alê Youssef, que deixa a secretaria municipal de Cultura no próximo dia 20 - Zanone Fraissat/Folhapress

No dia seguinte usou nas redes sociais formulação quase idêntica para informar que defenderia essa meta, mas no bojo de um novo movimento.

“Independente das novas oportunidades que possam surgir para mim no futuro, passo a me dedicar à criação do Bloco da Cultura, um novo movimento político nacional em defesa da centralidade da cultura no eixo de desenvolvimento econômico e social do país”.

A plataforma se alinha com a pauta que Youssef, empresário da noite e um dos fundadores do bloco carnavalesco Acadêmicos do Baixo Augusta, vinha imprimindo a sua gestão, sobretudo em resposta às ações do governo federal na área.

Nesse bojo, foi criado por exemplo o festival Verão sem Censura, que teve boa parte de sua programação composta por espetáculos que foram alvo de censura ou crítica do governo Bolsonaro.

Youssef será substituído por Hugo Possolo. O ator, palhaço, diretor e dramaturgo dos Parlapatões, que era diretor-artístico do Theatro Municipal desde que Youssef assumiu a Cultura, teve sua nomeação publicada no Diário Oficial do Município nesta quarta (11).

Possolo foi um dos nomes de prestígio na área cultural que Youssef levou para a pasta, em escolhas que privilegiaram o saber técnico sobre a experiência prévia na política, caso ainda de profissionais como a cineasta Lais Bodanzky, à frente da Spcine, e a jornalista Erika Palomino, diretora do Centro Cultural São Paulo.

Os três estão entre os integrantes do Bloco da Cultura.

Além da mudança na área cultural, 9 dos 32 subprefeitos foram exonerados, segundo duas portarias publicadas também nesta quarta.

A área de subprefeituras costuma ser das mais afetadas em períodos anteriores a eleições municipais, seja para acomodar aliados, seja para que os ocupantes se dediquem a candidaturas próprias.

Para as subprefeituras da Freguesia do Ó/Brasilândia, Vila Maria/Vila Guilherme, São Miguel Paulista, Campo Limpo, M’Boi Mirim e Sapopemba, há novos nomeados.

As do Jaçanã/Tremembé, Jabaquara e Capela do Socorro ainda não têm novos ocupantes.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.