Encontraram meus tios soterrados e mortos, diz adolescente após chuvas em Guarujá

São 15 mortos na Baixada Santista e dezenas de desaparecidos após deslizamento de terras com temporal

Guarujá

O estudante Luiz Vitor Feitosa, 16, acordou assustado na madrugada desta terça-feira (3) com os gritos do pai. "Acorda, acorda! Vamos procurar os seus tios!", disse o pai.

O destino era a comunidade da Barreira João Guarda, em Guarujá, no litoral paulista, um dos pontos mais afetados pelas fortes chuvas que atingiram a região e acarretaram, até o momento, em 15 mortes confirmadas e 34 pessoas desaparecidas.

"Encontram os meus tios soterrados e mortos. Procuro agora meus três primos e minha tia. Meu pai me acordou desesperado me chamando para procurá-los", disse à reportagem o adolescente, com as roupas cobertas de lama.

Os deslizamentos de terra provocaram o soterramento de 60 a 70 barracos na comunidade. Ao menos 200 pessoas estão desabrigadas em Guarujá. Moradores de outros bairros, voluntários, ajudam retirando escombros e lama acumulada no local.

O trabalho de busca envolve a todos da Barreira. Os bombeiros apitam, e um silêncio absoluto domina o ambiente. Todos ficam atentos a algum som que pode significar um vizinho ou parente soterrado.

O local ainda segue sob forte chuva. "Estava dormindo e na hora que acordei a lama estava em cima de mim. Caí da cama, quebrei o braço, machuquei a cabeça. Não sobrou nada da nossa casa", afirma o estudante Alisson Rodrigues Honorato, 16.

"Abriu uma cratera que atingiu fortemente a Barreira. Estava de noite, sem iluminação. Acredito que será um trabalho de, pelo menos, dez dias. As pessoas têm ajudado cientes de que muitos locais ainda podem ceder. Há pessoas debaixo desses escombros, são ações bem complicadas", explicou o capitão e porta-voz do corpo de bombeiros Marcos Palumbo.

Nas últimas 12 horas, choveu em Guarujá 282 mm, o que era esperado para todo o mês; em Santos, foram registrados 218 mm de chuva; em Praia Grande, 170 mm; São Vicente, 169 mm; Mongaguá, 160 mm, Cubatão, 132 mm e Itanhaém e Bertioga, 110 mm.

As fortes chuvas que atingem o Sudeste desde o fim de semana também causaram estragos no Rio de Janeiro

Nesta terça, seis casas desabaram na zona norte do Rio. Também foi, nesta terça, encontrada a quinta vítima das chuvas no estado. O corpo do jovem Mateus Souza Oliveira, 21, que estava desaparecido desde domingo (1º), foi achado por moradores na margem de um rio em Queimados (a 55 km da capital) por volta das 7h.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.