Descrição de chapéu Obituário Carlos Geraldo da Silva (1946 - 2020)

Mortes: De Roberto Carlos ao rock progressivo, Cargê foi um herói

O músico tocou ao lado de grandes artistas da MP e integrou a banda Casa das Máquinas

São Paulo

Para o músico Carlos Geraldo da Silva, conhecido como Cargê, as notas musicais soaram como oportunidades valiosas em sua vida.

O também cantor, compositor e maestro —fã de Djavan e George Benson— foi um herói na cena brasileira do rock.

Amoroso, dócil e educado, era correto até na pontualidade. Atrasos o tiravam do sério. Cada saída às ruas fazia pelo menos duas novas amizades.

 

Cargê nasceu em Porto Alegre (RS). Seu primeiro trabalho foi na adolescência, numa banda cover dos Beatles, a Brazilian Beatles. Na época, conheceu Roberto Carlos em início de carreira.

O encontro foi na praia de Tramandaí, no litoral gaúcho. Ambos se apresentaram e trocaram contatos após o grupo dar uma carona a Roberto Carlos até um hotel em Porto Alegre (RS).

“Roberto Carlos convidou a Brazilian Beatles para participar do programa da Jovem Guarda que estrearia na TV. Os músicos não concordaram com a mudança para São Paulo e seguiram caminhos diferentes. Roberto, então, apresentou meu pai à Vanderleia e ele integrou o trio Os Vandecos durante um período”, conta o filho, o cozinheiro profissional e músico Carlos Geraldo da Silva Júnior (Cargê Júnior), 46.

Em meados de 1974, segundo Cargê Júnior, veio o convite para entrar em uma das bandas que ganhou importância no cenário do rock progressivo do país, Casa das Máquinas. O namoro durou três anos com a gravação de dois discos.

Elis Regina, Gal Costa e Tim Maia, entre outros artistas, também tiveram a participação de Cargê em seus trabalhos.

A permanência de 22 anos na Itália, a partir de 1981, interrompeu a carreira promissora no Brasil. De volta ao país, fixou residência em Caxias do Sul e atuou como músico em bares e restaurantes.

Cargê viveu para o filho e para o que dizia ser “a coisa mais maravilhosa do mundo”: a música. Ele morreu dia 6 de março, aos 73 anos, em decorrência de um câncer no pâncreas. Deixa dois filhos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br
 
Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.