Descrição de chapéu Obituário Francisco Laerte de Cillo (1936 - 2020)

Mortes: Entre aviões, barcos e música, foi mestre na arte de viver

Apaixonado por aviões e barcos, atualmente Francisco Laerte de Cillo trabalhava na construção de um veleiro em Ilhabela

São Paulo

Francisco Laerte de Cillo, o tio Laerte, era um ímã para quem apreciava barcos, aviões, carros, música e artes em geral. Inteligente, discursava sobre qualquer assunto e foi um mestre para os sobrinhos e demais familiares.

Francisco nasceu em Santa Bárbara D’Oeste (135 km de SP). Cresceu na fazenda e morou com a família na área onde ficava a Usina Açucareira de Cillo.

Foi um dos grandes aeromodelistas brasileiros e um dos primeiros a construir modelos de helicópteros por controle remoto. O conhecimento lhe rendeu amizades com pessoas do mundo inteiro.

Francisco Laerte de Cillo (1936-2020)
Francisco Laerte de Cillo (1936-2020) - arquivo pessoal

“Ele tinha uma oficina que era um sonho para quem gosta de mecânica. Havia tudo ali: serra de fita, furadeira de bancada, um pequeno torno, todo tipo de ferramenta possível, e uma coleção de discos de jazz e música erudita”, conta o sobrinho, o jornalista Fábio Pagotto, 48.

“Foi ele quem me apresentou Modern Jazz Quartet, Louis Armstrong, Miles Davis e Dizzy Gillespie. E tinha muito Mozart, Bach e Vivaldi, escutados horas a fio enquanto ele trabalhava em qualquer coisa e eu aprendia”, completa Fábio.

Francisco era o desafio vencido em pessoa. Conhecia mecânica como ninguém. Consertava de batedeira a trator, de motor de barco ao de um aeromodelo. Pilotava e consertava o próprio avião.

Atualmente, trabalhava na construção de um veleiro em Ilhabela (a 198 km de SP). “Ele viajou à Europa, viu um projeto de barco, comprou e trouxe para construir. Foi o sonho não realizado. Ele gostava de viver intensamente”, diz o sobrinho, o corretor de imóveis Fernando de Cillo, 56.

Como todo bom italiano, Francisco era habilidoso com bordões e provérbios. Sempre tinha um para proferir. Era alegre e contava piadas. Os filhos e sobrinhos seguiram suas paixões.

Francisco Laerte de Cillo morreu dia 27 de março, aos 84 anos, por complicações de Alzheimer. Deixa esposa, dois filhos e cinco netos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.