Descrição de chapéu Obituário Delma Frate (1925 - 2020)

Mortes: Paulistana, preservou a gentileza dos velhos tempos

Delma Frate considerava seus vizinhos como segunda família e tinha o hábito de presenteá-los nas datas importantes

São Paulo

A consideração pelos vizinhos era uma marca registrada de Delma Frate, paulistana nascida no Brás (região central de São Paulo).

Na família de classe média, a mãe era dona de casa e o pai —muito conservador— funcionário dos Correios.

A rigidez com a qual foi criada a afastou do desejo de ser professora. "Minha mãe estudou escondido do pai, mas ele não permitiu que ela concluísse os estudos", conta a filha, a jornalista e escritora, Dilea Frate.

Delma Frate (1925-2020)
Delma Frate (1925-2020) - Arquivo pessoal

Depois de se casar, se mudou para o Brooklin (zona sul). O mundo mudou e a modernidade encheu os olhos de Delma, que acompanhou entusiasmada as profundas transformações da sua rua. De repente vieram as grandes avenidas, os arranha-céus, o trânsito e a agitação do dia a dia.

Do passado, Delma fez questão de preservar a amizade verdadeira e a gentileza dos velhos tempos. Os vizinhos eram considerados sua segunda família. Nos aniversários e nas datas importantes, todos eram presenteados.

Mesmo após quatro cirurgias de fêmur, Delma trocou a cadeira de rodas por um andador. A seu modo, lutava contra o preconceito sofrido pelos idosos.

Quando ela tinha 92 anos, sua casa foi invadida por um homem sob efeito de drogas. Conseguiu correr e acionar a polícia, que duvidou da versão relatada e perguntou nove vezes a mesma coisa. "Vocês pensam que estou gagá?" protestou.

O rapaz foi encontrado e, como testemunha, ela teve de passar horas na delegacia. "Primeiro me tratam como louca, depois me usam como testemunha, e no final sequer pedem desculpa. Como é difícil ficar velha!", dizia.

Delma Frate morreu no dia 11 de março, aos 94 anos, de complicações relacionadas à idade. Viúva, deixa dois filhos, cinco netos e três bisnetas.

"Ela nos ensinou a entender as diferenças e colocar o amor e a generosidade acima delas", afirma Dilea.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.