Descrição de chapéu Coronavírus

Asilo de Piracicaba registra 7 mortes de idosos por Covid-19 em 6 dias

Há outros 9 internados, dos quais 4 estão em estado grave

Ribeirão Preto

A pandemia do novo coronavírus provocou sete mortes de idosos num intervalo de seis dias num asilo de Piracicaba, o que motivou uma investigação do Ministério Público Estadual sobre as medidas que estão sendo tomadas para conter a propagação do vírus no local.

O Lar Betel, que existe há 67 anos, abriga 82 idosos e tem 75 funcionários. Além dos 7 óbitos de idosos, outros 28 estão com a Covid-19, dos quais 9 estão internados. Quatro deles estão em estado grave. Entre os funcionários, 13 foram diagnosticados com a doença.

As mortes ocorreram entre os dias 23 e esta terça-feira (28), com a confirmação do óbito de um idoso de 87 anos. Piracicaba chegou nesta quarta (29) a 10 mortes por Covid-19, das quais 7 na instituição. Há 115 casos confirmados no município.

Rua de Piracicaba, onde idosos morreram de coronavírus em asilo
Rua de Piracicaba, onde idosos morreram de coronavírus em asilo - Mateus Medeiros -24.mar.20/Gazeta Piracicaba

Com o quadro grave apresentado no local, o promotor Luiz Sérgio Catani instaurou procedimento para investigar as medidas que estão sendo tomadas para evitar que o vírus se propague ainda mais no local.

“A partir da contaminação inicial, está sendo feito tudo o que deveria. Um comitê de crise foi criado para acompanhar a situação e o importante é terminar a testagem que está sendo feita no local e acompanhar se algum idosos ainda precisaria estar isolado”, afirmou.

Segundo a Secretaria da Saúde de Piracicaba, foram testadas 44 pessoas, entre funcionários e residentes, que apresentaram sintomas como gripe e febre.

Em 17 de março, a Promotoria instaurou um procedimento para verificar junto às 22 instituições que abrigam idosos em Piracicaba as medidas que estavam sendo tomadas na prevenção e cuidado com os idosos, mas o Lar Betel teve um procedimento específico após as mortes.

Diretor-presidente do Betel, Luiz Adalberto dos Santos afirmou que a instituição nunca teve registro sequer de problemas ocasionados a partir da alimentação de idosos e que tem trabalhado para debelar o surto no local.

“Tem sido um desafio de Golias, uma luta terrível aqui. Acredito que não teremos mais casos, a partir de todas as medidas que foram tomadas”, afirmou.

Disse que, apesar das restrições impostas já há mais de um mês, funcionários diariamente faziam o deslocamento entre o trabalho e suas casas, o que pode ter feito com que o vírus atingisse o asilo.

“A renda da instituição caiu e os gastos triplicaram. [Além dos idosos] Perdemos funcionários com afastamentos e estamos passando muitas dificuldades. O grande problema nosso é justamente mão de obra. Precisamos contratar mais pessoas em enfermagem, mas há pessoas que não querem ir trabalhar”, afirmou.

Dos 13 funcionários diagnosticados com Covid-19 que se afastaram, 11 já retornaram ao trabalho, mas a instituição afirmou ter demanda extra para cuidar dos idosos isolados.

A partir desse cenário, a Secretaria da Saúde resolveu deslocar uma equipe para auxiliar nos trabalhos do lar, composta por médico, enfermeiro e técnico de enfermagem.

Ela se somará aos médicos, dois enfermeiros e cinco técnicos de enfermagem que já trabalham no local, de acordo com o diretor-presidente.

MEDIDAS

A Promotoria, que abriu investigação na última segunda-feira (27), deu prazo de 48 horas para que o Betel respondesse sobre a adoção de medidas, o que ocorreu nesta quarta-feira (29).

No documento, Santos afirmou que as medidas de contenção foram tomadas, com a criação de ala de isolamento e restrição para visitas há mais de um mês, e que a prefeitura tem dado o suporte necessário.

Além da dificuldade em contratar funcionários e superar as mortes de idosos, o Lar Betel também tem problemas financeiros. Um bazar de móveis, eletrodomésticos e utensílios feitos pela entidade, e que representava 25% de sua renda mensal, deixou de ser realizado com as medidas de restrição à circulação de pessoas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.