Descrição de chapéu Obituário Luiz Flavio Gomes (1957 - 2020)

Mortes: Mestre do direito, lutou por um país ético e justo

Luiz Flavio Gomes era um dos maiores e mais respeitados pensadores do direito do Brasil

São Paulo

Nascido em 1957, em Sud Menucci (613 km de SP), o corintiano professor Luiz Flavio Gomes, ou LFG tem dois irmãos e três irmãs —pai baiano e mãe paulista.

O pai sempre sonhou em ter um filho formado na área jurídica, o que levou LFG para o caminho do direito, já precocemente aprovado ainda estudante aos 19 anos no concurso público para investigador de polícia para custear seu sustento, aos 21, delegado de polícia, aos 23, promotor de Justiça, aos 25, juiz de direito, seguindo carreira na magistratura.

Ganhou destaque nas áreas penal e processual penal, às quais se dedicou ao estudo profundo, produzindo ao longo da vida mais de 60 livros, inclusive obtendo os títulos de Mestre pela Faculdade de Direito da USP e doutor pela Faculdade Complutense de Madrid, ganhando projeção na carreira de professor pela didática usada em sala de aula.

Luiz Flavio Gomes (1957-2020)
Luiz Flavio Gomes (1957-2020) - Bruno Poletti - 08.dez.2016/Folhapress

Aposentado no Poder Judiciário, iniciou carreira como advogado e, após trajetória de destaque nos cursos preparatórios de carreiras jurídicas, criou neste segmento a metodologia de ensino a distância, que se mostrou exitosa, tornando-o ainda mais conhecido e um case de sucesso pelo senso visionário empreendedor. No tempo disponível gostava de tocar bateria.

Centenas de milhares de alunos depois, nas vinte e sete unidades da federação, guindado à condição de um dos maiores e mais respeitados pensadores do direito do Brasil nos tempos atuais, jurista de peso incontestável, comentarista de destaque na bancada do Jornal da Cultura, idealizou o movimento Quero um Brasil Ético, mobilizando a sociedade.

Estimulado pelas pessoas e seguindo seu caminho idealista, não se recolheu ao conforto que o sucesso profissional já lhe havia assegurado. Optou por arregaçar as mangas, comer poeira e financiou com seus próprios recursos sua candidatura a deputado federal, que foi vitoriosa, com quase 90.000 votos.

Ergueu as bandeiras anticorrupção, da educação e da saúde, logo renunciando na Câmara aos vencimentos como deputado e abriu mão da maior parte dos assessores parlamentares a que teria direito.

Vinha estudando o capitalismo solidário. O otimismo, o carisma e a coragem sempre fizeram de LFG um homem dinâmico e vitorioso. Isto naturalmente deu vida a seu bordão, que virou sua marca registrada: AVANTE!

Depois de lutar corajosamente por seis meses contra uma leucemia mieloide aguda, morreu em São Paulo no dia 1º de abril, aos 62 anos. Deixa a companheira Alice Bianchini, os filhos Luiz Felipe e Paulo Otávio e os netos Martina e Lucas.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.