Descrição de chapéu Obituário Vitor Sapienza (1933 - 2020)

Mortes: Vitor Sapienza deixa sua marca na política paulista

Deputado estadual por SP, governou o estado interinamente em 1994

São Paulo

Em 2019, o ex-deputado estadual Vitor Sapienza venceu um câncer no pulmão e as consequências de um acidente que resultou numa fratura de fêmur.

Na semana passada, precisou de uma internação para a retirada de água no pulmão. Saiu do hospital na sexta-feira (3) e dois dias depois sentiu-se mal.

Já era o sinal que perderia a luta contra a Covid-19. Vitor morreu no dia 9 de abril, aos 86 anos. Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês desde 5 de abril. Segundo o hospital, Vitor apresentava pneumopatia e cardiopatia.

Vitor Sapienza (1933-2020)
Vitor Sapienza (1933-2020) - 26.fev.2018 - Raphael Montanaro/Alesp

Na década de 1960, Monte Aprazível (474 km de SP) serviu de cenário para o início da carreira como agente fiscal de rendas da receita estadual.

Depois, mudou-se para a capital paulista. Ocupou o cargo de delegado regional tributário da Grande São Paulo e conselheiro, presidente e secretário da Associação dos Agentes Fiscais de Rendas do Estado de São Paulo.

Sua dedicação e empatia fizeram com que os colegas o considerassem um líder da categoria, o que o aproximou da vida política.

Elegeu-se deputado pela primeira vez em 1987. Presidiu a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo no biênio 1993-1995.

Orgulhava-se por ter sido governador interino de São Paulo por alguns dias, em 1994. Chegou a líder do antigo PPS (Partido Popular Socialista), hoje chamado de Cidadania.

Foi oito vezes deputado estadual. Em 2017, o político, do PPS, ocupou a vaga deixada por Celso Giglio.
Vitor Sapienza era formado em economia e ciências contábeis pela PUC-SP.

Bastante querido também no meio futebolístico, Sapienza era conselheiro do Palmeiras. Deixa esposa e cinco filhos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.