Descrição de chapéu Coronavírus Rio de Janeiro

Moradora da Cidade de Deus, no Rio, é baleada após determinação para que ações policiais fossem evitadas

Estado da mulher é estável; não se sabe de quem partiu o tiro que a atingiu

Rio de Janeiro

Na manhã desta segunda (25), moradores da Cidade de Deus, na zona oeste carioca, relataram tiroteio e a presença do Batalhão de Choque da Polícia Militar no local. Uma mulher baleada na cabeça, próximo à orelha, foi atendida na unidade de pronto-atendimento do bairro e levada ao hospital Miguel Couto, na zona sul.

Segundo a Polícia Militar, não houve ação ou confronto na região. Policiais do 18º BPM, de Jacarepaguá, e do Comando de Policiamento Ambiental (CPAm) foram acionados para ajudar em uma ação do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) no Centro de Treinamento do Vasco da Gama, que fica próximo à Cidade de Deus. Durante o deslocamento das equipes pela região, ainda segundo a PM, ouviram-se tiros na comunidade, que não foram respondidos.

Operação policial no complexo do Alemão, no Rio, no último dia 15
Operação policial no complexo do Alemão, no Rio, no último dia 15 - Ricardo Moraes - 15.mai.20/Reuters

A ação que seria feita, segundo a PM, foi cancelada e a polícia não foi acionada para socorrer possíveis feridos pelos disparos. Moradores da Cidade de Deus dizem, porém, que o Batalhão de Choque estava nas ruas pela manhã e que houve tiroteios.

Na sexta (22), o governador Wilson Witzel havia determinado, após reunião com representantes das polícias civil e militar e com ativistas sociais, que a polícia aumentasse o diálogo com os líderes comunitários para evitar operações de busca e apreensão ou ações de inteligência enquanto grupos promovem ações e serviços humanitários.

Ações policiais e tiroteios, que persistem durante a crise do coronavírus, têm paralisado doações em favelas do Rio de Janeiro. Também não é raro que confrontos interrompam atendimentos em unidades de saúde.

Em dois meses de pandemia, ocorreram, em média, cinco tiroteios ou disparos por dia próximo a unidades de saúde na região metropolitana do Rio, segundo levantamento da plataforma colaborativa Fogo Cruzado.

O coletivo de moradores Frente CDD, que promove o combate à pandemia na Cidade de Deus, não tinha ações organizadas para esta segunda.

A deputada estadual Mônica Francisco (Psol), que estava na reunião de sexta, soube do tiroteio desta segunda e disse ser “fundamental mudar essa atuação”. Segundo ela, esse é o objetivo ao tratar das operações e promover o diálogo direto com a sociedade e instituições.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, responsável pelo hospital Miguel Couto, a mulher baleada tem quadro estável.​​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.