Descrição de chapéu Coronavírus

Prefeitura de SP volta atrás e desiste de bloqueios de vias contra coronavírus

Medida causou congestionamento de 11km, inclusive de ambulâncias; avenidas passam a apresentar apenas mensagens educativas

São Paulo

A prefeitura de São Paulo voltou atrás quanto ao bloqueio de vias da cidade após a medida causar congestionamento, inclusive de ambulâncias, e falhar em aumentar os índices de isolamento social contra o novo coronavírus.

Na segunda (4), a medida causou 11 km de congestionamento na cidade entre 8h e 9h e 21 km de lentidão às 8h, segundo balanço divulgado pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego),

Depois de recuar na medida de bloqueio de trânsito em vias da cidade, o prefeito Bruno Covas informou que a prefeitura estuda novas medidas para restringir a circulação de pessoas. “Se só estivesse na rua quem é trabalhador de serviço essencial, a gente não teria o trânsito que está ocorrendo. Quem está travando e atrapalhando o trânsito, são aqueles que não entenderam o recado”, disse.

O prefeito disse ter recuado da medida por não ter surtido o efeito de reduzir a circulação de carros na cidade. “O que observamos foi que não houve aumento de pessoas em casa. Nosso compromisso é com a vida, não com o erro. Razão pela qual não temos mais bloqueios hoje e a Secretaria de Transporte irá apresentar novas medidas para implementarmos. Estamos nos aproximando do pico da doença, com número crescente de infectados e mortes.”

Agora, vias passam a exibir mensagens educativas para incentivar motoristas a ficar em casa.

As avenidas Yervant Kissajikian, na altura do número 1.837, e Aricanduva, no sentido centro (altura da avenida dos Latinos) tiveram "blitze educativas" das 7h às 9h. "A intervenção possibilita a exibição de mensagens por profissionais de saúde aos motoristas, lembrando sobre as medidas essenciais para prevenir a disseminação da doença", diz comunicado da prefeitura.

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) informou que nos locais haverá painéis móveis com a mensagem "Previna-se do coronavírus, fique em casa".

Os bloqueios haviam sido anunciados na última semana, entraram em vigor na segunda-feira, mas não chegaram ao terceiro dia. A princípio, apenas os corredores exclusívos para ônibus estariam liberados para passagem de veículos.

Na terça-feira (5), o Ministério Público de São Paulo, por meio Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo, instaurou um inquérito para apurar se os bloqueios foram embasados por estudos técnicos de tráfego e de saúde e se a medida levava em conta as consequências para circulação do transporte coletivo, de pedestres, profissionais da saúde, viaturas e ambulâncias.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.