Descrição de chapéu Coronavírus

Após registrar primeira queda semanal, SP volta a bater recorde de óbitos e novos casos em um dia

Estado registrou 365 mortes e 8.825 novos casos nas últimas 24h e já passa de 190 mil infectados

São Paulo

Após registrar, pela primeira vez, uma diminuição do número de novas mortes na semana, o estado de São Paulo bateu recorde de óbitos e novos casos de coronavírus em um dia.

Segundo dados apresentados nesta terça-feira (16) pela Secretaria de Saúde, o governo registrou 365 óbitos e 8.825 novos casos nas últimas 24 horas. Os maiores números, até então, haviam sido 340 óbitos e 6.999 novos casos.

O secretário estadual da saúde, José Henrique Germann, disse que, para analisar o quadro da pandemia, é levada em conta a observação semanal, e não o número registrado em um dia.

Nesta segunda-feira (15), os dados do governo mostraram que a semana de número 24 da pandemia, que se encerrou no dia 13 de junho, teve 1.523 óbitos pela Covid-19. Nos sete dias anteriores, este número havia sido de 1.526 e, antes, de 1.487.

"Essa questão do aumento especificamente em um determinado dia não é motivo pra que fiquemos imaginando que o que estávamos planejando ou que a evolução que estávamos esperando não esteja acontecendo", afirmou João Gabbardo, coordenador executivo do centro de contingência da Covid-19.

"Temos que analisar que há um espraiamento para municipios que ainda não tinham casos ou que tinham poucos casos, e isso é um fenômeno esperado. À medida que novos municípios aumentam o número de casos, e isso está acontecendo no interior, há um tendência na elevação do total", afirma.

O número de hoje, disse o coordenador, não reflete uma mudança de atitude do que aconteceu na semana passada. "O número de óbitos é um efeito bastante retardado, ele é alterado pelo que aconteceu há vinte, trinta dias".

Carlos Carvalho, coordenador do centro de contingência da Covid-19, afirmou que, comparando os números da primeira e segunda quinzenas de maio com os números deste mês, há indicativo de que o estado está chegando em uma fase de estabilização.

O crescimento no interior, afirmou Carvalho nesta segunda, é compensado por uma redução de casos na região metropolitana.

Da semana 13 para a 14, as primeiras apresentadas nesta segunda no levantamento do governo de São Paulo, o crescimento de óbitos havia sido de 460%. Na última, foi de 16,81%.

Hoje, o estado tem um total de 190.285 casos registrados e 11.132 óbitos. ​Já as taxas de ocupação de leitos de UTI estão em 70,6% no estado e em 77,1% na grande São Paulo.

"Mesmo com um crescimento registrado no interior do estado, temos 11 regiões administrativas com a fase verde no que tange a capacidade hospitalar", disse Marcos Vinholi, secretário de desenvolvimento regional. Entre as 17 regiões, 3 estão na fase amarela e outras 3 na laranja.

Paulo Menezes, coordenador de controle de doenças da Secretaria de Saúde, disse que a perspectiva é que o número de testes para coronavírus triplique nas próximas duas semanas —já foram realizados 602.384 no estado.

Gabbardo explicou que, a partir da 20ª semana, o estado também registrou uma redução gradativa no número de internações por doença respiratória.

No entanto, ele diz que, historicamente, é nas semanas 26 e 27 que há pico de internação por doença respiratória —hoje, o estado está na semana 25.

"Tem ocorrido uma redução, temos que observar como isso evolui", afirmou.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.