Descrição de chapéu Obituário Maria José Rosado da Silva (1933 - 2020)

Mortes: Em vez de dificuldades, trocou sorrisos com a vida

Maria José Rosado da Silva gostava de celebrar a vida com os amigos

São Paulo

Abrir as portas de casa aos amigos e à família era uma das coisas que mais dava prazer à dona de casa Maria José Rosado da Silva.

Ela nasceu em São José dos Campos (97 km de SP), onde morou até 23 anos de idade. Como perdeu o convívio com a mãe, que saiu de casa e desapareceu, foi criada pelo pai e cresceu perto das primas, com quem estabeleceu laços fortes de amor. Na cidade, trabalhou durante muitos anos numa tecelagem que fabricava cobertores.

Aos 23 anos, duas mudanças marcaram a vida: casou-se com o grande amor e fixou residência na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro.

Maria José Rosado (1933-2020)
Maria José Rosado (1933-2020) - Arquivo pessoal

A fase carioca trouxe algumas dificuldades. Maria ficou viúva precocemente e lutou para criar o único filho sozinha.

Apesar de tudo, a vida lhe sorriu em vários momentos. Na verdade, eram respostas aos episódios de alegria que ela proporcionara. Maria era prática e não perseguia problemas. Sabiamente, encontrava o lado mais calmo da situação e dizia “tudo passa”.

“Minha avó estava sempre celebrando a vida. Gostava de se arrumar, sair aos finais de semana com as amigas, tomar chopp e comer bem”, diz relações públicas Thais Goulart Rozado, 26. Era o que também oferecia às visitas: boa conversa, comida e de vez em quando doces.

Famosa por ser tranquila, Maria seguia a rotina que implantara diariamente. Mantinha a organização da casa, lia jornais, rezava e descansava. Para ela, as pequenas coisas eram gratificantes. Só ostentava a alegria, a paixão pela agitação da cidade grande e o prazer em receber amigos e a família em sua casa.

Aos 79 anos, foi diagnosticada com Alzheimer e por causa da doença voltou a morar com o filho em São José dos Campos.

A mudança lhe causou tristeza, mas com o agravamento do problema, a falta que sentia do Rio de Janeiro não fazia mais diferença.

Maria José Rosado morreu dia 30 de maio, aos 87 anos, de parada cardíaca. Deixa um filho, uma nora e dois netos.

​​coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.