Descrição de chapéu Obituário Mário Gragnani (1939 - 2020)

Mortes: Símbolo da felicidade, ensinou o valor da vida

Para os moradores de Jundiaí, Mário Gragnani representava a alegria

São Paulo

A primeira atitude de Mário Gragnani após receber o diagnóstico de câncer foi agradecer pela vida.

O filho, o músico Rodolfo Gragnani (cantor Rudy), 48, conta que Marião, como gostava de ser chamado, não perdia tempo com problemas e discussões.

“Nasci feliz, vivi feliz e feliz eu fui” e “Todo ser humano é um espermatozoide que deu certo. E o objetivo é um só: a busca pela felicidade” são frases que Mário repetia com frequência.

Quando não pilotava a moto que ganhara de presente de aniversário dos filhos ao completar 80 anos, certamente podia ser visto ao redor da mesa de um bar com a família e os amigos, ou na organização de alguma festa. Ao longo da vida, teve dez carros conversíveis exóticos —outra paixão.

Mário Gragnani (1939-2020)
Mário Gragnani (1939-2020) - Arquivo pessoal

Sentia orgulho por ter nascido em frente ao teatro Polytheama, em Jundiaí (58 km de SP), um dos mais tradicionais do país.

Mário nunca se separou do sorriso, nem na hora de dar conselhos. Tinha o ombro aconchegante e conforto nas palavras.

Dono de uma juventude marcante, conquistou amigos de todas as faixas etárias e acreditava no passado como um período de aprendizagem, mas que não atrapalhava o presente.

Adorava turmas e criou várias. Foi um dos fundadores do Clube do Carro Antigo e do UIA (Unidos Independentes e Amigos), o primeiro motoclube de Jundiaí.

Para a Feira da Amizade, criou a barraca dos motoqueiros, que, por cinco anos, foi campeã na arrecadação de fundos para entidades beneficentes.

Fã número um do filho, o cantor Rudy, Mário o incentivou a seguir a carreira de músico desde os 12 anos de idade.

“Meu pai também se destacou na vida profissional. Fazia marketing quando a prática nem existia no Brasil. Ele prestou serviço para a Cica [empresa adquirida pela Unilever em 1993 cuja marca foi extinta em 2003] por 25 anos, criou marcas conhecidas”, afirma Rudy.

Havia um ano que Mário Gragnani lutava contra um câncer no pulmão. Ele morreu no dia 9 de junho, aos 80 anos. Deixa a esposa, três filhos, seis netos e duas bisnetas.

“Tudo o que atrapalhar a sua vida, corte. A vida é um presente lindo. Viva intensamente. Esse foi o seu legado”, diz Rudy.

​​coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.