Descrição de chapéu Coronavírus Rio de Janeiro

Witzel autoriza reabertura de shoppings, bares e pontos turísticos no RJ

Decisão final caberá a prefeituras; Crivella se reúne domingo (7) para avaliar ampliar relaxamento

Rio de Janeiro

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), autorizou em decreto nesta sexta-feira (5) a reabertura gradual de diversas atividades econômicas já a partir deste sábado (6) no estado.

De acordo com o governo estadual, cada prefeitura tem o poder de fazer uma avaliação própria, tornando mais restritas o funcionamento de estabelecimentos. Não podem apenas afrouxar mais do que o estabelecido pelo governador.

O preveito Marcelo Crivella (Republicanos-RJ) afirmou que se reunirá com o conselho científico do município para avaliar mudanças no planejamento de abertura da capital. No início da semana, a cidade reabriu algumas atividades, mas de forma mais limitada que a autorizada pelo estado.

Reabertura restrita dos shoppings
Reabertura restrita dos shoppings, bares e pontos turísticos no RJ - Evaristo Sa/AFP

A medida estadual autoriza o funcionamento de centros comerciais, bares e restaurantes, pontos turísticos (como o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar) e parques, entre outros, com restrições para evitar aglomerações.

De modo geral, os estabelecimentos estão autorizados a funcionar, desde que respeitem o limite de 50% de sua capacidade de lotação.

Além disso, deverão seguir protocolos e medidas de segurança recomendadas pelas autoridades sanitárias, como o uso de máscaras de proteção facial por clientes e funcionários, assegurar a distância mínima de um metro entre as pessoas e disponibilizar álcool em gel 70%.

No caso dos shopping centers e centros comerciais, o horário é limitado (das 12h às 20h). As praças de alimentação poderão funcionar, desde que obedeçam o limite de 50% da capacidade de lotação. Áreas de recreação, cinemas e afins deverão permanecerão fechados.

Permanecem suspensas até o dia 21 de junho atividades coletivas, como aulas presenciais nas escolas, cinemas, teatros, e academias de ginástica.

De acordo com o estado, as medidas foram tomadas levando como base a redução na fila por leitos de enfermaria e UTIs (de 1,5 mil pessoas no fim de abril para pouco mais de 100 atualmente), redução de casos considerando o início dos sintomas e óbitos.

Na capital, Crivella afirmou que vai avaliar neste domingo (7) o decreto estadual para decidir se amplia a reabertura gradual mais cautelosa planejada esta semana.

O município estabeleceu na última terça-feira seis fases de retomada das atividades, sendo que cada uma duraria duas semanas. Ao fim do prazo, a evolução dos casos de Covid-19 é avaliada a fim de que se amplie ou não o relaxamento das medidas de isolamento social.

Nesta primeira fase, foi autorizada a reabertura de lojas de móveis e decoração, concessionárias de automóveis. Todos os demais estabelecimentos comerciais seguem com proibição de funcionar, e lanchonetes, bares e restaurantes podem abrir apenas para sistema de entregas ou retirada.

Crivella disse que avalia ser possível reabrir shoppings, com controle de atividades. Ele disse, porém, que as decisões só serão tomadas após ouvir o conselho científico do município.

O prefeito afirma que os casos de Covid-19 estão dando sinais de queda, mas que o coronavírus ainda prejudica o atendimento de pacientes de outras doenças.

"Nesse momento o que mais mata não é o coronavírus, é pânico. As pessoas ficam longe de seus tratamentos e quando chegarem no hospital, estão mortos", disse o prefeito.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.