Suposto golpe do seguro de carro provoca grande incêndio em reserva no Rio

Homem foi preso suspeito de atear fogo em veículo; incêndio ja atingiu área de quase 4 Ibirapueras

Waleska Borges
Rio de Janeiro

Um homem de 66 anos foi preso em flagrante, nesta segunda-feira (27), suspeito de causar um incêndio de grandes proporções da reserva biológica de Araras, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, em Petrópolis, na região serrana do Rio. De acordo com a Polícia Civil, ele havia ateado fogo no próprio carro para receber o prêmio do seguro veicular.

Segundo o delegado João Valentim, as chamas já haviam comprometido uma área de 605 hectares, equivalente a quase quatro parques do tamanho do Ibirapuera, em São Paulo, de 158 hectares.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o incêndio começou na madrugada, por volta das 3h30, e se alastrou pela reserva biológica. Até esta terça (28), bombeiros tentavam conter o fogo. A previsão é de que ele seja controlado em até três dias.

A fumaça de um incêndio se espalha pelo céu. Vegetação de uma montanha queima.
Incêndio iniciado suspeita de homem atear fogo em carro já atingiu pelo menos 10 mil metros quadrados de vegetação em reserva biológica de Araras em Petrópolis, no Rio de Janeiro - Divulgação / Corpo de Bombeiros

Uma força-tarefa composta por 72 agentes do Corpo de Bombeiros, INEA, ICMBio, IBAMA, Defesa Civil Municipal e GCM atua no combate ao incêndio. Ao todo, 19 viaturas e uma aeronave são utilizadas na ação.

Segundo o delegado João Valentim, o suspeito foi até a polícia para registrar o roubo de seu veículo. Na ocasião, o homem apresentou uma versão que gerou desconfiança na equipe policial. Depois, foram informados de que havia um incêndio de grandes proporções e que a hipótese seria que ele começou porque perto havia um veículo incendiado.

Após ouvir testemunhas e analisar imagens de câmeras de vários postos de combustíveis, a equipe policial verificou que o suspeito comprou, no dia anterior, um galão de gasolina no município de Três Rios (RJ). O material foi usado, diz a polícia, para atear fogo no automóvel.

A investigação apontou que o autor tinha como objetivo receber o valor do seguro do carro com um sinistro, o que não ocorreu. Foi o maior dano ambiental registrado em Petrópolis neste ano, segundo laudo pericial.

O suspeito foi autuado por tentativa de estelionato e pelo delito de incêndio. Ele será encaminhado para o presídio de Benfica, no Rio, nesta quarta-feira (29). Somadas, as penas dos crimes podem chegar a 15 anos de prisão.

Segundo o delegado, ele negou as acusações. Douglas Batista, advogado dele, disse que só irá se manifestar no processo.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.