Descrição de chapéu Coronavírus

Após suspeita de fraude, prefeito de SP suspende contratos de compras na Saúde

Medida ocorre após operação da Polícia Federal revelar compras irregulares de aventais para hospitais da capital paulista

São Paulo

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), suspendeu as licitações que estavam em fase inicial da Secretaria Municipal de Saúde relacionadas à AHM (Autarquia Hospitalar Municipal).

A decisão foi tomada nesta sexta-feira (7) um dia após a operação Nudus, da Polícia Federal, apontar suspeitas de fraudes em dois contratos emergenciais para a aquisição de 600 mil aventais descartáveis que seriam destinados a hospitais da capital gerenciados pela autarquia. Juntos, os dois contratos somam R$ 11 milhões.

Segundo a Polícia Federal, a chefe do setor de compras da AHM é namorada do dono da empresa responsável pelo fornecimento dos aventais.

Na quinta (6), a Polícia Federal esteve nos endereços dos dois suspeitos, mas os localizou num hospital da capital paulista. Os celulares de ambos e uma amostra dos aventais foram apreendidos.

Os aventais serão encaminhados à perícia para comprovar ou não a justificativa apresentada para explicar o alto custo: o produto teria proteção contra bactérias.

Também na quinta, o controlador-geral do município, João Manoel Scudeler de Barros, oficiou o TCU (Tribunal de Contas da União) e solicitou documentos e provas colhidas pela Polícia Federal nas investigações sobre o caso.

Barros fará uma investigação interna para responsabilizar empresas e servidores públicos envolvidos nos supostos esquemas de fraude.

A AHM, que administra 11 hospitais municipais da capital paulista, como o Jabaquara (zona sul) e o Tatuapé, o Ermelino Matarazzo e o Tide Setúbal (zona leste), será extinta, de acordo com a Lei 17.433/2020, sancionada no último dia 30 de julho.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Édson Aparecido, a pasta será reorganizada administrativamente. Com a mudança, a gestão dos hospitais passará a ser feita pela própria secretaria de Saúde.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo informa que, por determinação do prefeito Bruno Covas, todas as concorrências serão retomadas para a SMS (Secretaria Municipal de Saúde).

"A Controladoria Geral do Município abriu uma sindicância para apurar eventuais irregularidades em compras da Autarquia Hospitalar Municipal e enviou ofícios ao Tribunal de Contas da União e à Polícia Federal solicitando compartilhamento de informações", diz o texto.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.