Família encontra corpo de menino de 14 anos enterrado em quintal

Adolescente estava desaparecido desde quarta (23), em São Vicente, no litoral paulista

São Paulo e Rio de Janeiro

O corpo de Iury Júnior Pereira Silva, 14, desaparecido desde quarta (23) foi encontrado neste sábado (26), em São Vicente, litoral paulista. Ele estava enterrado em um quintal na casa de um colega do adolescente, no bairro Gleba 2.

Segundo a família da vítima, o suspeito de ter cometido o crime confessou a morte do menino e apontou o local onde estava o corpo. A confissão veio, segundo a família, após a irmã da vítima ter encontrado o chinelo do adolescente na casa dele.

“Já xinguei ele de desgraçado e falei que matou meu irmão. Saí na rua e chamei os meninos do bairro. Um monte de gente entrou na casa e bateram nele. Quando ele apontou [o lugar onde estava o corpo], eu cavei, cavei, não enxergava mais nada, só queria cavar”, disse a Ingrid Pereira da Silva, 26.

A irmã diz que Iury conheceu o suspeito pelas ruas do bairro. O homem se dizia amigo da vítima.

Iury Júnior Pereira Silva, 14, adolescente que estava desaparecido desde a última quarta (23); corpo foi encontrado enterrado no quintal de um colega de bairro - redes sociais

A procura pelo adolescente começou na última quarta-feira (23), última vez em que ele foi visto com vida, e teve grande mobilização nas redes sociais. Em postagem, a mãe do menino, Valquíria Inácio, pedia notícias do filho e indicava telefones para recebê-las. “Estamos desesperados”, dizia ela.

Segundo a família, Iury foi visto pela última vez foi por volta das 22h de quarta, quando saiu para andar de bicicleta. A família diz se lembrar bem porque, no horário, passava na televisão um jogo de futebol do Corinthians. Ingrid conta que o irmão queria ser policial, era bom aluno e adorava fazer manobras com a sua bicicleta.

“Ele era um dos alunos mais inteligentes. Era danado, mas só tinha nota boa e muito querido no bairro. Quando ele sumiu, os amigos fizeram camiseta para a família e mobilizaram a internet toda. Tinha tanta gente na porta da casa para ajudar”, afirmou a irmã.

A família diz que após a localização do corpo da vítima, não tiveram mais notícias do suspeito. Quando a polícia chegou, conta Ingrid, só estavam ela, a irmã mais velha e moradores. O homem que admitiu o crime já tinha sido levado para outro local segundo a família de Iury.

Procurada, a Secretaria da Segurança Pública informou que o crime é investigado pela 3ª Delegacia de Homicídios da Deic de Santos, que realiza diligências para tentar localizar o dono do imóvel onde o jovem foi encontrado. A pasta informou não ter notícias do linchamento do suspeito.

O velório e o enterro de Iury na manhã desta segunda (28), na Osan do Bitaru, em São Vicente.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.