Meteoro mais brilhante que a Lua é visto no RS e em SC

Fenômeno durou seis segundos e a noite virou dia em algumas cidade do Sul do país

Luciano Nagel
Porto Alegre

A queda de um grande e brilhante meteoro foi registrada durante a madrugada desta quinta-feira (1) no Rio Grande do Sul e em parte da região sul de Santa Catarina.

As imagens da explosão foram captadas à 1h09 pelas câmeras do Observatório Espacial Heller & Jung, situado na cidade de Taquara (a 72 km de Porto Alegre). Em 2019, já havia sido registrado fenômeno semelhante no estado gaúcho. No mesmo ano, houve outra queda de meteoro, desta vez no Paraná.

"O superbólido [meteoro] brilhou tanto que, em algumas localidades, a noite virou dia por alguns instantes. Era mais brilhante que a Lua e fenômeno perdurou seis segundos. Foi o maior meteoro avistado no Rio Grande do Sul desde 2016’’, disse o astrônomo Marcelo Zurita, diretor da Bramon (Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros).

Segundo Zurita, moradores da região de Campos de Cima da Serra e Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, relataram que postes de iluminação pública chegaram a desligar.

‘’Baseado na luminosidade que vimos, este objeto deve ter aproximadamente entre um a três metros de diâmetro, isso é uma estimativa, o que pode chegar até 10 toneladas’’, explicou. No entanto, os fragmentos que atingiram o solo, cerca de 500 kg de meteoritos, não foram suficientes para criar uma cratera. Ainda não se sabe a extensão da área atingida.

‘’A atmosfera faz muito bem o trabalho de frear esse fragmento de rocha. Com isso ele atinge o solo em velocidade mais baixa, sem causar grandes estragos. Os pequenos estilhaços devem pesar, no máximo, alguns poucos quilos ou gramas, mas ainda não sabemos a dimensão da área, mas deve ter sido grande’’, afirmou o astrônomo.

Clarão rasga céu no Rio Grande do Sul
Queda de meteoro em Taquara, no Rio Grande do Sul, em abril de 2019 - Bramon - Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros/Reprodução

Análises preliminares feitas a partir dos registros de vídeos apontam que o meteoro começou a brilhar quando atingiu altura de 89,5 km em relação ao solo, na zona rural de Caxias do Sul, e seguiu na direção norte, a uam velocidade de 16,9 Km/s (60,9 mil Km/h). O fragmento brilhante atingiu a atmosfera em um ângulo de entrada de 44° em relação ao solo.

A Bramon é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é desenvolver e operar uma rede para o monitoramento de meteoros, com o objetivo de produzir e fornecer dados científicos à comunidade através da análise de suas capturas, que são realizadas por estações de monitoramento.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.