Descrição de chapéu Obituário Crizam César de Oliveira (1937 - 2020)

Mortes: Dividiu amor pelo futebol com filho e até apanhou por ele

Crizam de Oliveira, pai do tetracampeão mundial Zinho, foi maior incentivador da sua carreira

São Paulo

O vascaíno Crizam César de Oliveira compartilhou com o filho a paixão pelo futebol. Por causa dele, teve de dividir o seu amor pelo time cruzmaltino logo com o maior rival, o Flamengo, pelo qual Crizam César de Oliveira Filho, mais conhecido como Zinho, tornou-se ídolo.

O pai do jogador tetracampeão mundial com a seleção brasileira em 1994, nos EUA, era uma espécie de amuleto e esteve ao lado do filho em todas as suas principais conquistas.

Zinho ao lado de seu pai Crizam César de Oliveira
Zinho ao lado de seu pai Crizam César de Oliveira - Arquivo pessoal

"Ele era o ponto de sustenção do Zinho", relembra o ex-volante César Sampaio, seu companheiro na seleção e no Palmeiras. "Era um homem sério e um pai muito presente", acrescenta.

Seu Crizam, como era chamado, de fato foi tão presente que participou inclusive dos momentos mais turbulentos da carreira do filho. Em 2004, quando torcedores do Flamengo ficaram revoltados com uma goleada que o time sofreu do Atlético-MG, 6 a 1, até o pai de Zinho acabou agredido no aeroporto Santos Dumont.

"Foi uma barbaridade. O que vimos é retrato da violência que o Rio enfrenta", descreveu na época o então presidente da equipe rubro-negra, Marcio Braga.

O pai de Zinho teve de ser levado a um hospital, onde levou seis pontos no rosto, mas nem isso o afastou dos estádios.

Onde quer que o filho estivesse jogando, ele sempre dava um jeito de estar por perto. No final dos anos 1990, por exemplo, quando Zinho foi jogar no Japão, Crizam e a família costumavam viajar para lá e passar as festas de fim de ano junto com ele.

Cesar Sampaio, que também atuou em solo japonês, lembra de ocasiões em que as famílias passaram o Natal juntas. "Teve um ano em que a mulher do Zinho decorou a árvore de Natal com um estrela que tinha escrito 'merry christmas' (feliz natal) e o seu Crizam saiu perguntando a todo mundo quem era a Maria Cristina que estava fazendo aniversário. A gente ria muito com ele."

Em 2016, foi a vez de Zinho fazer seu pai sorrir de felicidade, ao ver o filho trabalhando pela primeira vez no time do coração. Como auxiliar de Jorginho no Vasco, foi campeão carioca naquele ano, para a alegria de seu Crizam.

Junto de uma série de fotos ao lado do pai, o ex-atleta escreveu uma mensagem a ele em seu Instagram e relembrou momentos importantes ao seu lado.

"Meu incentivador, meu mestre, meu educador, responsável por ser a pessoa que sou. Que meu pai possa descansar em paz. A missão dele aqui foi cumprida", escreveu.

Segundo o canal Fox Sports, onde Zinho atua como comentarista, seu Crizam teve uma parada cardíaca e morreu na terça-feira (13), aos 80 anos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.