Descrição de chapéu Obituário Kalil Nasraui (1933 - 2020)

Mortes: Inovador, fez da família e dos negócios suas paixões

Kalil Nasraui fundou o Rei do Mate e se dedicou a transformá-lo em uma empresa familiar

Gabriella Soares
São Paulo

O olhar inovador e que sabia reconhecer oportunidades acompanhou o empresário Kalil Nasraui desde pequeno. Aos 15 anos se apaixonou pelo comércio quando começou a trabalhar na loja de camisaria de seu pai, imigrante sírio, no bairro do Paraíso (zona sul de SP). Não demorou muito para abrir sua própria loja, de artigos sazonais, quando tinha pouco mais de 20 anos.

Na época a sua paixão pela saudabilidade, ou seja, a visão de que hábitos alimentares saudáveis transformam a qualidade de vida e o bem-estar das pessoas, já se fazia presente nos negócios. E foi com isso em mente que em 1978, após conhecer uma antiga casa de chás no centro de São Paulo, a Casa do Mate, ele abriu a própria loja na avenida São João, o Rei do Mate.

“O Rei do Mate era uma extensão da nossa família. Meu pai adorava ter um relacionamento próximo com todos, em que qualquer um da empresa podia sentar e conversar com ele, e as pessoas também o adoravam por isso”, conta Antonio Carlos Narsui, filho de Kalil e CEO da rede Rei do Mate.

A família, afinal, era o que mais importava para o empresário. Sempre fez questão de estar presente na vida de seus filhos, Antonio e Anna Lúcia, e da esposa, Anna Maria, com quem foi casado por 55 anos. Dessa forma, os negócios se transformaram em outro ponto de encontro familiar.

“Comecei a trabalhar com ele quando tinha 10 anos. A nossa relação não era apenas de pai e filho, ele era o meu parceiro e o meu melhor amigo. Éramos parceiros em tudo e ele fazia questão de estar presente em todos os momentos das nossas vidas, da nossa família”, lembra o filho.

Kalil Nsaraui, fundador da rede Rei do Mate, morreu no último dia 17 - Gabriel Cabral/Folhapress

Antonio acredita que o pai teria trabalhado até o último momento se não fosse pela pandemia. “Por toda sua vida, ele lia a Folha de manhã —era uma fã, não conseguia sair de casa se não o fizesse— e saía para trabalhar. Foi o que fez um dia antes de a pandemia começar e teria continuado se pudesse”.

A inovação de Kalil e a sua dedicação, assim como a de sua família, fez do Rei do Mate a maior rede de casas de mate e de café do Brasil.

No fim, lembra o filho, tudo o que o preocupava era a família e como eles ficariam após sua morte. “Essa era a única preocupação dele, foi o que me pediu um dia antes de morrer, para cuidar da irmã dele, que tem mais de 90 anos, da minha irmã e da minha mãe. Ainda tentou nos consolar, porque para ele a família sempre foi tudo e ele sabia o que era perder um pai.”

Kalil Antonio Nasraui morreu dia 17 de dezembro, aos 87 anos, por falência de múltiplos órgãos após 20 dias internado para tratar uma doença nos rins. Deixa a esposa, dois filhos e quatro netos. Além de todos aqueles que ele conquistou com carisma, bom humor e sua dedicação, que para a família é a maior prova do homem que ele foi.

​“Eu nunca tinha visto um enfermeiro chorar antes, experientes como são. Mas esse era o meu pai, quem o conhecia, o adorava.”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.