'Não cairemos na armadilha da negação à ciência', diz João Campos ao tomar posse no Recife

Prefeito afirmou que estuda caminho próprio para obter vacina contra Covid-19 caso plano de imunização do governo federal não seja apresentado

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Felipe Lima
Recife

O novo prefeito de Recife, João Campos (PSB), determinou a elaboração de um plano próprio de aquisição e distribuição da vacina contra a Covid-19 para a cidade. "Não cairemos na armadilha da negação à ciência", afirmou em seu discurso de posse, realizada na Câmara Municipal.

O planejamento será uma alternativa caso o plano de imunização do governo federal não avance com urgência.

Campos declarou que a situação do país no enfrentamento à pandemia poderia estar bem melhor se o conhecimento científico fosse devidamente reconhecido.

O prefeito disse que receberá neste mês o primeiro relatório que norteará a postura da prefeitura: o diálogo com a União ou "caminhar de maneira ativa".

João Campos em campanha à Prefeitura do Recife - Reprodução

O planejamento de vacinação no Recife será elaborado por uma comissão de especialistas e coordenado pela nova secretária de Saúde, Luciana Albuquerque, anunciada nesta semana para assumir a pasta.

Cuidadoso nas críticas, o prefeito destacou que, "pessoalmente, tem muitas discordâncias" com o presidente Jair Bolsonaro, mas que a "instituição Prefeitura do Recife" não se furtaria ao diálogo com o governo federal em torno de projetos e parcerias importantes.

Em seu discurso, o prefeito também se comprometeu a tornar a educação pública do Recife a melhor entre todas as capitais brasileiras.

Também emocionou-se ao falar da mãe, Renata Campos, e especialmente do pai, o ex-governador Eduardo Campos, morto em 2014 num acidente aéreo durante a campanha presidencial. "Minha batalha é pelo futuro que Eduardo sonhou", destacou.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.