SP registra a maior média móvel de casos de Covid-19 desde agosto

Número de ocorrências da doença cresceu 63%, e o de óbitos subiu 49%, nos últimos 15 dias

São Paulo

O avanço da pandemia em São Paulo atingiu na última semana a maior velocidade desde agosto do ano passado. Na primeira semana após as festas de fim de ano, o estado registrou aumento de 63% no número de casos positivos de Covid-19 e 49% no de óbitos.

No mesmo período, o número de internações também cresceu 15%. O estado tem hoje 65% dos leitos de UTI ocupados, enquanto no início de dezembro, a média era de 40%.

Na primeira semana de janeiro, foram 213 óbitos diários em média em São Paulo. Na última semana de dezembro, a média foi de 143. Os casos confirmados também passaram de 6.373 novos registros diários para 10.366, no mesmo período. ​

O governador João Doria (PSDB) fez um alerta para que a população evite aglomerações e respeite as regras de distanciamento social para conter o aumento de casos. No entanto, não informou se deve adotar novas medidas de restrição nos próximos dias.

Apesar do aumento, o governo manteve a maior parte dos municípios paulistas na fase amarela do Plano São Paulo. A única alteração foi estabelecer um limite de funcionamento para todos os estabelecimentos não essenciais, que só poderão ficar abertos até as 22h nesta etapa.

“Esse aumento que tivemos no número de casos, óbitos e internações nos alerta para uma situação cada vez mais grave e que medidas precisam ser tomadas. Na última atualização do Plano São Paulo, anunciamos mudanças mais rigorosas e é preciso que as pessoas permaneçam em casa”, disse João Gabbardo, secretário-executivo do Centro de Contingência da Covid no estado.

Nos primeiros dez dias do ano, o governo diz ter criado 250 novos leitos de UTI para atender aos novos casos graves da doença. Esses leitos haviam sido desmobilizados no ano passado após contenção da pandemia.

Até esta segunda, São Paulo já registrou 48.379 óbitos e 1.549.142 casos confirmados de coronavírus. Atualmente, no estado há 12.530 internadas pela doença, sendo 7.169 em enfermaria e 5.361 em unidades de terapia intensiva

Com o aumento expressivo de casos, o governador destacou a importância de o governo federal acelerar a autorização para o início da vacinação no país e disse que o estado está pronto para começar a imunização imediatamente.

“Nós temos planejamento, estrutura, organização para iniciar o programa de imunização assim que houve a liberação”, disse Doria.

Nesta segunda, o governo apresentou o plano de logística e infraestrutura para a vacinação. São Paulo tem 10,8 milhões de doses disponíveis para serem entregues aos 645 municípios paulistas.

O governo diz já ter organizado 5,2 mil salas de vacinação em todas as cidades. Elas funcionarão em escolas, estações de trem e metrô, quartéis da Polícia Militar e no serviço de drive thru.

Para o plano de imunização, 25 mil policiais serão destacados para a escolta e segurança dos locais de aplicação da vacina. Também houve o treinamento de 52 mil profissionais da doença para a vacinação.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.