Descrição de chapéu Obituário tuane moreira da silva rocha (1983 - 2021)

Mortes: Generosa com as novatas, contagiava com sua alegria

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Rio de Janeiro

Era noite de show em um dos mais badalados hotéis do Rio de Janeiro, o Copacabana Palace, no ano de 2015. O presidente administrativo da escola de samba São Clemente, Renato Almeida Gomes, foi informado de que a plateia era de "gringos" e que precisaria de um intérprete.

Surpreendido com a notícia, Gomes recebeu da passista Tuane Rocha a notícia de que poderia ficar tranquilo. Ela faria a comunicação com os turistas durante o show.

"Naquele dia, a Tuane fez de tudo. Apresentou o show, foi passista e alegrou a todos. Representou a São Clemente em vários carnavais. Teve um papel fundamental no desenvolvimento de muitas meninas da nossa comunidade", lembrou Gomes.

Tuane Rocha, 38, foi encontrada morta dentro de casa, em Jacarepaguá (zona oeste), na noite de terça-feira (16).

Segundo amigos, sofria de hipertensão. Eles acreditam que ela foi vítima de um acidente doméstico, já que o corpo da passista estava com uma lesão na cabeça.

Além de musa da São Clemente, Tuane desfilou em diferentes escolas no Carnaval carioca. No último, foi destaque em um dos carros alegóricos da Paraíso da Tuiuti e também no abre-alas da Acadêmicos do Cubango.

A morte da passista abalou o mundo do samba. Neguinho da Beija-Flor lembrou de seu profissionalismo e disse que a passista era alegre e sorridente.

"Um dia ela me apresentou sua filha, que ainda era adolescente. Levei um susto porque não imaginava. Então, a Tuane me contou que foi mãe aos 13 anos de idade. Era uma excelente profissional", contou Neguinho.

A passista Belinha Delfim, da Viradouro, lembra que Tuane era uma pessoa muito generosa e que passava suas experiências às meninas mais novas que iniciavam na carreira.

"Era uma mulher muito linda. Representava muito bem o Brasil pelo mundo afora. Tive nela uma das referências na minha carreira", emocionou-se Belinha.

De acordo com amigos, Tuane trabalhava com o Carnaval o ano inteiro fazendo shows na Europa. Geminiana, carioca da Cidade Alta, na zona norte da cidade, ela chegou a estampar a capa da mais tradicional e conceituada revista da folia, a Rio Samba e Carnaval, em sua 46ª edição.

Tuane também era atriz formada pela Casa das Artes de Laranjeiras. Há cerca de um mês, a passista revelou em suas redes sociais que lutava há cinco anos contra uma alopecia, doença que gera a perda repentina de cabelo do couro cabeludo. Tuane deixa os pais e uma filha, a publicitária Jennifer Rocha, 25.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.