Descrição de chapéu Rio de Janeiro

Passageira e suspeito morrem após serem baleados durante tiroteio em trem no Rio

Caso aconteceu na zona norte carioca na manhã deste domingo (4)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Rio de Janeiro

Uma mulher morreu após ser baleada durante um assalto no interior de um trem na zona norte do Rio de Janeiro, na manhã deste domingo (4). Dois dos suspeitos de participarem do assalto também foram baleados por um policial que estava no vagão, sendo que um deles também foi a óbito.

O roubo ocorreu por volta das 7h, quando a composição passava pela estação Sampaio, que liga Japeri (região metropolitana carioca) à Central do Brasil, no centro. Imagens que circulam nas redes sociais mostram passageiros tentando reanimar a vítima com massagens cardíacas.

A mulher não teve o nome divulgado. Segundo a Secretaria de Saúde do Rio, trata-se de uma mulher de 26 anos que foi atingida na altura do peito.

Trem utilizado para o transporte de passageiros na estação Central do Brasil, no Rio de Janeiro - Supervia / Divulgação

A SuperVia, concessionária responsável pelo sistema de trens no Rio, informou ter acionado imediatamente o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e a PM e que a passageira foi levada para o Hospital Municipal Salgado Filho, mas ela não resistiu aos ferimentos.

Segundo a Polícia Militar, equipes foram acionadas para checar um possível arrastão no local. Ao chegarem, constataram que um PM, no interior do trem, havia reagido ao roubo e atingiu dois suspeitos.

Um desses suspeitos foi levado ao Hospital Municipal Souza Aguiar, mas também não resistiu e morreu. Já o outro homem foi encaminhado à UPA do Engenho Novo, mas o estado de saúde dele não foi divulgado. De acordo com a corporação, um revólver calibre .38 foi apreendido.

A SuperVia afirmou ainda que um outro passageiro avisou que estava com um pequeno ferimento na cabeça ao chegar à Central do Brasil, mas dispensou atendimento médico e deixou a estação. Durante a ocorrência, alguns trens precisaram ficar parados, aguardando a liberação dos trilhos, mas depois a operação se normalizou no transcorrer do dia.

"A segurança pública nos trens e estações é uma atribuição do governo do Estado, que atua por meio de suas unidades policiais. Os agentes da SuperVia não têm poder de polícia e são orientados a acionar os órgãos competentes sempre que necessário. A empresa se coloca à disposição para contribuir com o que for possível durante as investigações", diz a nota da concessionária.

A Delegacia de Homicídios da capital informou que instaurou um inquérito para investigar "a morte de uma mulher atingida em uma troca de tiros no interior de um trem". A instituição afirma que dois criminosos foram presos e dois fugiram, sem dar detalhes dessas prisões.

A Agetransp (agência reguladora de transportes concedidos no RJ) também divulgou que abriu uma ocorrência para apurar as responsabilidades pelos fatos.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.