Descrição de chapéu Obituário Milton Consani (1944 - 2021)

Mortes: Patrocinou grandes times e vestiu craques do futebol

Milton Consani foi presidente da Finta, que produzia uniformes esportivos, principalmente para times de futebol

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O paulistano Milton Consani nasceu e foi criado na região do Brás (centro). No jeito de ser, carregava características com frequência atribuídas à descendência italiana: divertido, comunicativo e nervoso.

“Ele era um homem de muitos adjetivos. Todos gostavam muito dele”, diz o comerciante Glauton Consani, 47, um dos filhos.

A ansiedade era fruto de um passado atribulado, cheio de trabalho e estresse, mas que trouxe como compensação o dinheiro e o sucesso.

Milton Consani (à esq. segurando a chuteira), Rivelino e o sócio na fábrica, Jorge Fusco Rodrigues
Milton Consani (à esq. segurando a chuteira), Rivelino e o sócio na fábrica, Jorge Fusco Rodrigues - Arquivo pessoal

Milton presidiu a marca Finta, que produzia uniformes esportivos, principalmente para times de futebol.

Na época de ouro, em meados dos anos 1990 e 2000, patrocinou os principais times de futebol do país.

O período foi de grande exposição à marca e sua trajetória. Milton conheceu vários famosos jogadores de futebol, como Ronaldo, Bebeto, Ademir da Guia e Rivelino. Muitos deles visitaram a fábrica.

O início não foi fácil. Milton era garoto quando um vizinho de Elza Santi Consani, sua mãe, ofereceu a ela sociedade para vender bolas e chuteiras. Elza pendurou os objetos na porta de sua casa e começou a comercializá-los.

A lojinha evoluiu para a fábrica de uniformes esportivos, que chegou a ter 150 funcionários. Milton cuidou dos negócios até se aposentar.

Atualmente, a fábrica não pertence mais à família, mas os filhos administram uma loja de produtos esportivos.

Milton dedicou-se à família com muito amor. Pregou a união e deixou aos filhos o legado da honestidade e a importância de respeitar e tratar bem o próximo.

Ele morreu dia 14 de maio, aos 77 anos, por complicações de um câncer. Deixa a esposa, dois filhos e três netos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.