Descrição de chapéu Dias Melhores

Ao transformar trauma em arte, tatuadora brasileira faz mulheres sorrirem

Projeto ajuda a devolver a autoestima às vítimas de violências, acidentes e doenças

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Leonardo Benassatto
São Paulo | Reuters

Mulheres brasileiras feridas por queimaduras e outros traumas físicos agora podem buscar alívio por meio de uma tatuadora em uma missão para cobrir as cicatrizes, transformando lembranças persistentes de dor em lindos animais e flores.

O estúdio da tatuadora de São Paulo Karlla Mendes já aplicou sua habilidade em mais de 150 mulheres da capital paulista com o projeto "We Are Diamonds" (Nós Somos Diamantes).

Tatuadora Karlla Mendes atende Valeria Festa, cobrindo a cicatriz na perna esquerda com um floral e borboletas
Tatuadora Karlla Mendes atende Valeria Festa, cobrindo com um floral e borboletas a cicatriz na perna esquerda provocada por um acidente de carro - Carla Carniel/Reuters

"Você com a sua arte poder transformar a vida de alguém... Você vê no olhar, a pessoa fica com a alma brilhante. Ela fica reluzente de felicidade", disse a tatuadora à Reuters.

"É esse momento que me faz seguir em frente com o projeto, saber que realmente eu ressignifiquei e eu consegui transformar a vida daquela pessoa de alguma forma para melhor."

Muitas das mulheres que procuram o estúdio de Karlla são sobreviventes de violência doméstica, acidentes de carro ou doenças, determinadas a recuperar sua autoestima.

Para se candidatar às tatuagens gratuitas, as mulheres precisam contar sua história e enviar fotos pelo site do projeto.

Ao longo de quase dez horas, Liliana Oliveira assistiu com admiração as cicatrizes em seu braço direito desaparecerem, cobertas por borboletas roxas e delicadas pétalas de flores.

"Voltei a viver (depois dessa tatuagem), voltei a ser mulher, voltei a ser mãe, voltei a ser amiga. É vida! É só isto que eu penso, é vida! E o que ela representa para mim hoje, é minha nova vida."

Um traumático acidente de carro anos atrás deixou Valéria Festa com cicatrizes na perna esquerda, uma lembrança sempre presente de um dos piores momentos de sua vida.

"Alguns momentos procurava nem olhar para a cicatriz. Eu nem olhava e ignorava, porque quando você olha, ela te incomoda, aquilo pesa, porque aquilo não te pertence e passa a fazer parte da sua vida."

A tatuagem que ela tem agora é "incrível", disse.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.