Descrição de chapéu chuva

Moradores protestam na Radial Leste por causa de alagamentos na região

Grupo ateou fogo a pneus e impediu o trânsito na via da zona leste de São Paulo

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Moradores do bairro Artur Alvim, na zona leste de São Paulo, protestaram no início da manhã desta terça-feira (15) na Radial Leste por causa dos alagamentos na região. Eles montaram uma barricada de pneus e lixo e colocaram fogo, impedindo o trânsito no sentido centro.

O protesto ocupou duas faixas da direita e o corredor de ônibus. Por volta das 7h10, o trânsito foi liberado.

A manifestação ocorreu nas proximidades da galeria pluvial que passa ao lado da Linha 11-Coral da CPTM (Companhia de Trens Metropolitanos) e que rompeu por causa das chuvas que atingiram a capital paulista nos últimos dias.

Imagem aérea mostra foco de incêndio em parte da avenida Radial Leste com muita fumaça preta
Moradores do bairro Artur Alvim, na zona leste de São Paulo, realizaram um protesto na Radial Leste na manhã desta terça-feira (15) contra os alagamentos na região durante a forte chuva desta segunda (14) - Reprodução/TV Globo

Segundo os moradores, os alagamentos pioraram com as obras realizadas na galeria pluvial. Os reparos emergenciais para permitir a passagem dos trens teriam dificultado o escoamento das águas quando chove forte na região.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo afirmou que uma galeria pluvial que passa sob os trilhos da CPTM se rompeu, causando a erosão do terreno sob a linha. "A concretagem do local foi necessária para contenção do processo erosivo e para garantir a segurança dos passageiros e dos trens", informou a administração.

A Siurb (secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras) informou que três novos dutos estão sendo implantados na galeria para substituir o trecho rompido.

Previstos em decreto municipal desde 2017, os pedidos de indenização por danos causados por ação ou omissão da prefeitura somam 124 desde 2020, segundo a administração municipal. Desse total, dois estão relacionados a enchentes.

Linhas de ônibus que passam pela região, como as que vão para os metrôs Tatuapé e Bresser e terminal Parque Dom Pedro 2º, foram prejudicadas pelo protesto. Passageiros precisaram descer dos ônibus e seguir a pé no trecho interditado pela manifestação.

A chuva de segunda (14) à tarde alagou ruas da zona leste e deixou carros com água até o teto durante a tarde. Comerciantes perderam mercadorias e tiveram que fechar as portas durante o temporal.

A capital paulista ficou, das 12h21 às 16h48, em estado de atenção para alagamentos, segundo o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências, da Prefeitura de São Paulo).

O maior índice pluviométrico desta segunda, 73,4 mm de chuva, foi verificado no Itaim Paulista, também na zona leste.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, na região metropolitana, até as 20h15, foram 49 quedas de árvores e sete desabamentos ou desmoronamentos. Também houve 27 chamados para enchentes e alagamentos. A corporação afirma que não há vítimas.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.