Descrição de chapéu Rio de Janeiro

Helicóptero cai na lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio; 5 são resgatados

Duas mulheres e três homens que estavam a bordo foram atendidos em ambulância dos bombeiros

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Rio de Janeiro

Um helicóptero caiu na lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio de Janeiro, na tarde deste sábado (22). Segundo informações do Corpo de Bombeiros, cinco pessoas —duas mulheres e três homens— foram resgatadas sem gravidade.

De acordo com o subprefeito da zona sul, Flávio Valle, a aeronave havia saído de Jacarepaguá, na zona oeste, para um voo panorâmico com uma família de São Caetano do Sul (SP). Na Lagoa, colidiu com uma ave e teve que pousar na água.

"Foi tudo muito rápido. Ouvimos o barulho do helicóptero mais perto e percebemos a movimentação das pessoas que caminhavam. Alguns, no susto, tentaram pular na água para resgatar a família", contou Emerson Conceição, 37, comerciante que trabalha na Lagoa.

Helicóptero dos bombeiros sobrevoa lagoa Rodrigo de Freitas na busca de feridos da queda de aeronave neste sábado (22) - Reprodução

Os bombeiros confirmaram que receberam chamado para atender a ocorrência às 14h28. O resgate foi feito por uma embarcação que participava de competição de regata na lagoa. O corretor Leandro Barreto Bruno, 53, dirigia pela avenida Borges de Medeiros, próxima à lagoa, quando viu o acidente.

"Ele caiu rodando, completamente descontrolado, em movimento de parafuso e fazendo muito barulho. O helicóptero caiu longe da margem, mas perto de uma regata, por isso as lanchas chegaram rápido. Acho que o piloto teve habilidade para evitar algo pior", contou.

Segundo Valle, estavam no helicóptero o piloto e um casal com dois filhos, que foram atendidos em uma ambulância dos Bombeiros em um clube na região. "Todos se comunicavam e estavam bem. Só o pai que se queixava de mais dores", disse o subprefeito.

Veículo do Corpo de Bombeiros chega à lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio de Janeiro, após queda do helicóptero - José Lucena/TheNews2/Agência O Globo

"A mãe estava muito desesperada e abalada emocionalmente porque o piloto em nenhum momento avisou que o helicóptero havia sofrido um acidente. A mãe diz que foi ela quem percebeu que o helicóptero estava caindo e disse que 'viu a morte'", completou.

A Lagoa sedia um heliponto de onde partem aeronaves para voos panorâmicos sobre pontos turísticos da cidade.

Na quarta (19), duas pessoas ficaram feridas na queda de um helicóptero no parque que fica entre as avenidas Túlio Teodoro de Campos e Jornalista Roberto Marinho, na região do Jabaquara, zona sul de São Paulo.

A aeronave prefixo PP-BDL decolou às 10h46 do aeroporto de Congonhas, que fica próximo ao local da queda. O piloto foi transportado pelo helicóptero Águia da PM até o Hospital das Clínicas. Ele, que tem 51 anos, foi diagnosticado com traumatismo craniano.

O outro tripulante, um mecânico de 38 anos, foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) com fraturas nas pernas e braços.

Conforme os registros na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a aeronave de prefixo PP-BDL está registrada em nome da Promax Produtos Máximos S/A Indústria e Comércio e estava em situação regular. Em nota, a Promax disse lamentar o acidente e que toma as medidas necessárias para apurar, em colaboração com as autoridades responsáveis, o que houve.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.