Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
18/02/2011 - 08h26

Metrô de SP obtém licença para abrir novas estações da linha 4

Publicidade

ALENCAR IZIDORO
DE SÃO PAULO

O Metrô de São Paulo obteve a licença ambiental para operar as novas estações Butantã e Pinheiros da linha 4-amarela e tentará entregar a primeira no mês que vem.

Inaugurada em maio de 2010, a linha 4 funciona hoje apenas entre as estações Paulista e Faria Lima. O recebimento da autorização da Cetesb (companhia ambiental do Estado) --requisito para iniciar a atividade- foi comunicado ontem ao mercado pelo Metrô.

Oficialmente, a gestão Geraldo Alckmin (PSDB) mantém a metade do ano como prazo para abrir as duas próximas estações. Mas a Folha apurou que a empresa tentará antecipar as entregas.

A meta extraoficial é inaugurar a estação Butantã no mês que vem. Até abril, a Pinheiros --polêmica pela abertura da cratera em 2007.

Em seguida, fazer a integração dela com a estação Pinheiros da CPTM. Até junho, o funcionamento para horários de pico deve ser ampliado.

Joel Silva/Folhapress
Passageiros desembarcam na estação Paraíso; metrô de SP obtém licença para abrir novas estações da linha 4
Passageiros desembarcam na estação Paraíso; metrô de SP obtém licença para abrir novas estações da linha 4

As estações Luz e República serão concluídas só no segundo semestre. Os novos prazos com que técnicos do Metrô trabalham não são divulgados oficialmente para que não sejam tratados como promessas.

A linha 4, a primeira em São Paulo operada pela iniciativa privada (pelo grupo Via Quatro), acumula atrasos. Ela, que consta dos planos do Metrô há quatro décadas, foi prometida nos anos 90.

O contrato das obras foi firmado só no último mandato de Alckmin, para ser concluída até 2008. Em seguida, sua primeira fase foi empurrada para 2009 e 2010.
Quando for entregue, terá 12,8 km e seis estações.

A segunda fase, prometida agora para até 2014, prevê mais cinco pontos de parada.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página