Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/07/2011 - 00h10

Osvaldo Costa de Lacerda (1927-2011) - Pianista e compositor erudito

Publicidade

ESTÊVÃO BERTONI
DE SÃO PAULO

Um dos principais representantes da escola nacionalista no Brasil, o compositor paulistano Osvaldo Lacerda morreu na madrugada de ontem, em São Paulo, aos 84 anos, de falência de órgãos.

Ao lado da mulher, a pianista e ex-aluna Eudóxia de Barros, 74, era ativo divulgador da música erudita brasileira. Sua produção, laureada com diversos prêmios, destaca obras vocais, pianísticas e de câmara, seguindo a cartilha do nacionalismo de seu mestre, o compositor Camargo Guarnieri (1907-1993).

Lacerda esteve sob orientação de Guarnieri entre 1952 e 1962, uma década decisiva: foi o professor quem o incentivou na direção da composição (Osvaldo, que começara a estudar piano aos nove anos, era até então essencialmente um instrumentista) e definiu sua personalidade artística e orientação estética, moldada pelos escritos nacionalistas de Mário de Andrade (1893-1945).

Discípulo, nos EUA, de Aaron Copland (1900-1990), era dotado de sólida formação técnica e teve ainda destacada atuação pedagógica.

Seus livros "Compêndio de Teoria Elementar da Música", "Exercícios de Teoria Elementar da Música", "Curso Preparatório de Solfejo e Ditado Musical", e "Regras de Grafia Musical" estão até hoje no catálogo, sendo adotados em escolas de música do Brasil e de Portugal.

Ocupava a cadeira de número nove na Academia Brasileira de Música.

O velório, no cemitério do Araçá, ocorre até as 9h de hoje, quando o corpo segue para o cemitério da Consolação, local em que será enterrado, no centro de São Paulo.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página