Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/08/2011 - 08h35

Amigos de jovem atropelado protestam no local do acidente em SP

Publicidade

DE SÃO PAULO

Amigos de Vitor Gurman, 24, transformaram a esquina da rua Natingui, na Vila Madalena, em que ele foi atropelado e morto, numa espécie de monumento em sua memória, segundo a coluna Mônica Bergamo publicada na edição desta quinta-feira da Folha.

Novas imagens mostram Land Rover antes do acidente em SP
Outra testemunha diz ter visto um homem dirigindo Land Rover
Nova testemunha diz à polícia que nutricionista guiava Land Rover
Jovem atropelado lembrou de amigo morto no trânsito

A reportagem completa está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha.

De acordo com o texto, o grupo pendurou uma placa no local: "30 km/h - velocidade máxima permitida. DEVAGAR". A indicação oficial de velocidade tinha sido arrancada no dia do acidente, sábado, 23.

Desde o acidente, a turma se encontra diariamente. Pensam em formas de se manifestarem contra a imprudência no trânsito. Na noite de terça, encerraram sua manifestação gritando para os carros que passavam velozes na rua Natingui: "É 30km!"

Eduardo Anizelli/Folhapress
Amigos de Vitor Gurman fazem ato contra a impunidade no local onde ocorreu o acidente em São Paulo
Amigos de Vitor Gurman fazem ato contra a impunidade no local onde ocorreu o acidente em São Paulo

Algumas testemunhas do acidente afirmam que o carro que atingiu Gurman era conduzido por Gabriella Guerrero Pereira, 28. Outras, no entanto, afirmaram à polícia que ele era conduzido pelo namorado da jovem, o engenheiro Roberto de Souza Lima, 34.

O veículo acumulava 26 multas --dez delas por excesso de velocidade-- registradas entre 23 de dezembro de 2010 e 14 de maio de 2011.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página