Descrição de chapéu Enem

Conheça histórias de sucesso de estudantes nos 20 anos do Enem

Folha faz seleção de ex-participantes ligados aos marcos da prova federal

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) completa 20 anos neste ano. A Folha selecionou sete histórias de sucesso de gente com ligação aos marcos da prova nessas duas décadas. Confira abaixo:

Roberta Militão, 37
Educadora física, prestou o primeiro Enem em 1998. Tinha 17 anos quando fez parte dos 157 mil estudantes que se inscreveram na primeira edição. Segundo ela, o anúncio do exame causou burburinho, pela expectativa da ajuda que ele daria para entrar na faculdade. "Naquela época, estudar para a prova exigia ir à biblioteca, ler jornal e revista. Foi a estreia de um estilo conectado à realidade."


João, 29 (nome fictício)
Ex-presidiário, fez Enem na cadeia e cursa administração. Foi condenado a dez anos de prisão por tráfico de drogas e porte de arma. Na cadeia, conseguiu o certificado do ensino médio ao prestar o exame. Em 2016, migrou para o regime semiaberto e, por meio de bolsa, entrou no curso de administração de empresas. "O Enem fez parte da minha mudança."


Carlos Zago, 29
Médico, fez o novo Enem em 2009 —ano em que o exame saltou de 63 para 180 questões, ganhou cara de vestibular e chegou a ser adiado por vazamento das provas na gráfica responsável pela impressão. "A mudança de formato já causou apreensão, porque a prova seria bem maior. Mas o adiamento foi pior. Foi difícil saber que estávamos no meio daquilo tudo."


Thais Lino, 21
Estudante de psicologia, conseguiu ProUni (programa federal que oferece bolsas em faculdades privadas), por meio do Enem. Filha de pais professores, entrou em 2015 na FMU, em São Paulo. Ela conquistou o benefício porque obteve boas notas no exame. "Foi uma grande oportunidade na minha vida. Seria impossível conseguir pagar R$ 1.300 de mensalidade."


Antonio Amaral, 25
Obteve diploma do ensino médio por meio do Enem. Após ser reprovado no primeiro ano, ele fez do exame um atalho. Em 2010, prestou a prova e obteve o certificado da etapa escolar. Hoje, o benefício não é mais concedido pelo exame. "No meu caso, foi uma chance de sair da escola e entrar na faculdade no tempo certo." Atualmente, cursa tecnologia em mídias sociais e digitais na Belas Artes, em São Paulo.


Fernanda Talarico, 25
Biomédica, ela fez Enem para o Ciência sem Fronteiras. O exame lhe rendeu passaporte para morar na Inglaterra entre 2015 e 2016. Ela fisgou vaga no último edital do extinto Ciência sem Fronteiras, programa de bolsa de intercâmbio para universitário no exterior. "Cresci como pessoa e pesquisadora. Quero passar o que aprendi aos meus futuros alunos."


Ives Vaz Caldeira, 19
Entrou com a nota do Enem em medicina na USP, o curso mais concorrido da universidade. Desde 2016, a melhor instituição do país, segundo o RUF (Ranking Universitário Folha), reserva parte de suas vagas para quem faz o exame. "O Enem quebra o elitismo na USP. Na minha sala, tem pessoas de todos os tipos, de diversas classes econômicas, e isso faz diferença."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.