Descrição de chapéu Enem

Tema da redação do Enem 2018 é manipulação na internet por meio do uso de dados

Prova acontece neste domingo; ferir direitos humanos leva a perda de pontos

São Paulo

O tema da redação do Enem 2018 é "Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet", divulgou o Inep neste domingo (4). Os candidatos devem elaborar um texto dissertativo de até 30 linhas sobre o assunto.

Uma das principais apostas de alunos e professores era uma redação sobre fake news. O assunto não caiu longe das previsões, embora não seja o tema central, segundo o professor de redação do sistema pH, Thiago Braga.

Para ele, o tema é mais fácil do que o do ano passado - sobre formação educacional de surdos no Brasil - porque está presente no cotidiano da maioria dos participantes da prova e pautado pela imprensa em coberturas como o vazamento de dados do Facebook, no início do ano. Porém, pode apresentar armadilhas.

“Esse é um tema que, realmente, precisa do recorte de textos. Não é como intolerância religiosa que a gente sabe exatamente o que propõe em uma frase. Esse é diferente porque existem possibilidades de diferentes recortes feitos pela banca, pode ser voltado ao aspecto comportamental, com ênfase em consumo, pode ser ligado ao aspecto político-ideológico”, avalia ele.

O professor alerta que alunos precisarão prestar atenção para não fugir do tema e cair na pegadinha de escrever apenas sobre notícias falsas e fugir do assunto, o que pode afetar a nota final.

“Existe um risco forte de que eles, acreditando que o tema seja fake news e fujam da discussão central e a nota seja penalizada. Depende muito dos textos base e da preparação”, explica.

Tema ligado à internet não foi uma surpresa para Juliana Oliveira, professora de literatura do Sistema de Ensino COC. Segundo ela, o assunto foi um dos mais trabalhados durante o ano.

“O fator novo para gente é a manipulação. Como não tenho acesso aos textos base da prova, ele pode ser muito amplo. Tem a questão do controle de marketing, confiabilidade dos sites onde colocamos os dados, a vertente é a questão do manipular. O que a internet pode fazer com um dado meu”, aposta ela.

“Acho que o tema internet facilita, mas a proposta que vem junto com os textos base é que vai direcionar, dar a parte crítica da redação”.


TEXTOS QUE FIRAM OS DIREITOS HUMANOS PODEM SER ZERADOS

Quem escrever redações que firam os direitos humanos podem perder até 200 dos 1.000 pontos possíveis.

Segundo o manual de redação do Inep (responsável pelo Enem), um dos cinco itens que serão avaliados no texto é a capacidade de “elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos”.

Neste domingo, os candidatos farão provas de linguagens, ciências humanas e redação. O exame dura 5h30. No próximo domingo (11), as provas serão de química, física e biologia. Ao todo, 5,5 milhões de pessoas concorrem a vagas em universidades de todo o país. 

Até o exame de 2016, quem ferisse os direitos humanos teria a nota zerada. No ano passado, decisão do Supremo Tribunal Federal excluiu esse item entre os critérios que anulavam a prova. No Enem 2017, em uma redação sobre a inclusão de surdos na redação, um candidato escreveu: "a melhor decisão a ser tomada é o sacrifício logo após a descoberta da maldição.” 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.