Onyx diz que pesquisa no Brasil não está conectada com novas tecnologias

Ministro defendeu cortes e afirmou que produção científica no país é básica

Talita Fernandes
Brasília

Ao deixar a Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (15), o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) afirmou que a produção científica no Brasil ainda é básica e que as pesquisas "não estão conectadas com novas tecnologias".

A fala foi feita depois de Onyx deixar seus compromissos no Palácio do Planalto por quase duas horas para acompanhar a apresentação de Abraham Weintraub (ministro da Educação) aos deputados. Ele foi convocado pela Casa a prestar esclarecimentos sobre o bloqueio de 30% de verbas para Educação

O chefe da Casa Civil voltou a defender a diminuição dos recursos argumentando que trata-se de um contingenciamento e que o governo está sendo responsável fiscalmente. Ao criticar a produção científica brasileira, ele comparou o país à Irlanda. 

"Em 2001, na Trinity College, na Irlanda, foi perguntado para o reitor daquela universidade —que tem 500 anos, não tem nenhuma brasileira que tem 500 anos— se eles faziam pesquisa básica, sabe qual foi a resposta do reitor em 2001 para quem perguntou? 'Nós não perdemos tempo, está tudo disponível na internet", disse.

Ainda na comparação com o país Europeu, que tem população 43 vezes menor que o Brasil, Onyx disse que há três décadas a Irlanda era um país em que o melhor lugar para um jovem era o porto ou o aeroporto.

Ao mesmo tempo em que defendeu o corte no MEC — que congelou bolsas e pesquisas— Onyx afirmou que, por meio de pesquisas, a Irlanda saiu de um país sem esperança para um destaque na produção de softwares na Europa.

"A Irlanda atende quase 20% de todo o software europeu. A Irlanda é um pais desse tamanhozinho, a Irlanda é um pais que durante três décadas o melhor lugar para um jovem estar era no porto ou num aeroporto, como é parecido com o nosso país. Nós queremos fazer do Brasil um país com capacidade, com vida, esperança e capacidade de esperança para o jovem, esse é nosso desafio", disse.

Assim como fez Weintraub, Onyx culpou governos anteriores pelo contingenciamento de recursos.
"O governo que nós recebemos, que nos herdamos do PT, do MDB e de outros partidos, é um estado que não serve à sociedade. Então não é possível em cinco meses apenas um governo poder mudar tudo isso. Nós temos 30 anos do cachimbo usado do lado errado, é difícil fazer as correções", afirmou.

Questionado sobre a fala do presidente Jair Bolsonaro, nos EUA, que chamou de "idiotas úteis" os manifestantes contrários aos cortes na Educação, Onyx não quis responder.

Ele também não respondeu ao ser indagado sobre se o governo vai manter diálogo com quem está nas ruas. "Eu não comento sobre isso ai", disse, deixando o Congresso.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.