Descrição de chapéu Escolha a escola

Folha lança ferramenta online para ajudar pais a comparar colégios e optar

Buscador de escolas reúne dados de 135 mil instituições de ensino fundamental e médio de todo o país

 
Alunos do quarto ano da Escola Pioneiro trabalhando na criação de uma startup
Alunos do quarto ano da Escola Pioneiro trabalhando na criação de uma startup - Keiny Andrade/Folhapress
Fábio Takahashi Estêvão Gamba
São Paulo

Só quem precisou escolher escola sabe a dificuldade. Pública ou particular? Conteudista ou construtivista? Para ajudar nesse processo, a Folha lança a ferramenta online Buscador Escolha a Escola.

São 135 mil colégios de ensino fundamental e médio, de todo o país, públicos e particulares. Para cada um há até 14 indicadores de qualidade ou de infraestrutura.

O buscador traz informações como presença ou não de laboratório de ciências, se há acessibilidade no prédio, notas no Enem e média de alunos por turma. São dados do Inep, órgão do Ministério da Educação responsável por estatísticas. As bases são Censo Escolar, Enem e Saeb (avaliação de escolas públicas).

A ideia é mostrar, num lugar só, o máximo de informações objetivas e atualizadas.

É uma forma de ajudar na análise da situação dos colégios, que tem sido centrada no resultado do Enem.

O resultado do exame dos formandos no ensino médio tem a vantagem de ser um indicador objetivo. Mas é insuficiente, segundo educadores.

Primeiramente, porque o teste avalia apenas os estudantes ao fim do ensino médio. Como é o único em que há grande participação de colégios particulares, muitas famílias passam a usar esse parâmetro para avaliar até o ensino infantil de uma instituição. 

Não há consenso sobre a confiança nos dados do Enem para avaliação de escolas. 

O economista Eduardo Andrade e o professor da ESPM Ivan Soida mostraram que médias de escolas pequenas no Enem tendem a flutuar muito entre as edições.

Por outro lado, um grupo de pesquisadores da Escola de Economia da FGV-SP revelou que a divulgação das médias faz com que escolas particulares melhorem suas notas ao longo dos anos.

Discute-se até a pertinência de uma prova como avaliação. O aluno ir bem num exame significa que a instituição é boa? Não pode ser considerada boa a escola que tem notas inferiores às vizinhas, mas recebe bem alunos com deficiência e valoriza a diversidade? 

E não pode ser interessante um colégio que também não tem as notas lá em cima, mas cujas turmas são menores (e os estudantes recebem mais atenção dos professores)?

Dar um panorama mais completo de cada escola é justamente o objetivo da ferramenta lançada pela Folha

Um exercício rápido: se compararmos os 50 colégios com maiores médias nas provas objetivas do Enem e os mesmos 50 primeiros colocados, mas considerando só instituições que tenham laboratório de ciências, quase um terço da lista é alterado.

Dito de outra forma, 15 dos 50 colégios com maiores notas informam não ter laboratório de ciências. 

O buscador permite ao usuário procurar indicadores que mais lhe interessam na hora de optar por um colégio, conforme seus critérios e valores. 

Seja quais forem os dados considerados, há algo indispensável na escolha de uma escola: visita atenta e conversas com quem a conhece.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.