Descrição de chapéu Simulado Fuvest 2019

Fuvest terá prova colorida e sistema de reconhecimento facial

Uso de cores deve aumentar o grau de exigência nas observações de mapas e gráficos

A primeira fase da Fuvest, fundação que organiza o vestibular para ingresso na Universidade de São Paulo (USP), acontece no próximo dia 24 e traz novidades para os 129.148 inscritos, entre candidatos e “treineiros”, que disputam um dos processos seletivos mais concorridos e difíceis do país.

Pela primeira vez, os estudantes receberão provas impressas em cores, com figuras, mapas, gráficos e imagens coloridas. Para aprimorar a segurança do processo, um sistema de reconhecimento facial vai comparar digitalmente a foto que o candidato cadastrou no sistema da Fuvest no momento da inscrição no vestibular com a imagem coletada pelos fiscais nos dias de exame, por meio de um aplicativo.

Outra diferença em relação à edição passada é o número de listas de chamada de aprovados para a matrícula, que diminuiu de cinco para três.

“Resolvemos otimizar o processo, pois vimos, em 2019, que até a terceira chamada, 82% das vagas já tinham sido preenchidas. E a quinta chamada elevava muito pouco esse percentual, para 85%”, explica Edmund Chada Baracat, pró-reitor de graduação da USP. “Então decidimos fazer três chamadas e lista de espera, e vamos convocando os candidatos conforme a disponibilidade de vagas”.

De todas essas novidades, a que terá maior impacto na vida do estudante é a prova colorida, segundo Edmilson Motta, coordenador Geral do Grupo Etapa. Isso porque o uso de cores pode trazer novas possibilidades de abordagem das questões e de cobrança de conteúdo nas várias disciplinas. “Não é uma mudança à toa, pois pode influenciar a prova toda. A cor permite explorar aspectos relacionados a mapas, gráficos, obras de artes e fotografias de uma maneira mais criativa”.

Opinião semelhante tem Alexandre Antonello, coordenador pedagógico do Cursinho CPV, em São Paulo. Para ele, além de aumentar o grau de exigência nas observações de mapas, gráficos e imagens em geral, a prova colorida é visualmente melhor para o aluno, pois torna o exame mais agradável, mais leve e cansa menos.

Outra inovação da USP para este ano foi a inclusão de uma terceira forma de ingresso, além do tradicional vestibular da Fuvest e do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que usa as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), adotado desde 2016 pela universidade. 

Trata-se do processo seletivo que considera a pontuação obtida por estudantes de ensino médio em competições de conhecimento, como as olimpíadas nacionais e internacionais de matemática, física, biologia, química, astronomia, informática e robótica. As competições aceitas para a seleção foram definidas pelas próprias faculdades ou institutos que oferecem os cursos. Foram disponibilizadas 113 vagas em 60 cursos de graduação, a maioria deles das áreas de exatas e engenharias. 

“A USP já evoluiu ao aderir ao Sisu, e agora aumentamos as possibilidades de ingresso, o que significa maior acesso à universidade. Vamos trazer o estudante medalhista que tem qualificação especial em uma dessas áreas [das olimpíadas de conhecimento]”, diz Baracat.

De acordo com o pró-reitor, a ideia é expandir para as áreas de humanas e biológicas, mas isso depende de cada unidade da USP, que tem autonomia para decidir se vai abrir ou não vagas por meio desse novo processo seletivo. “Espero que no próximo ano praticamente a universidade toda participe do processo”.

A seleção dos candidatos aprovados via olimpíadas de conhecimento já foi realizada, e os resultados foram divulgados no início de outubro. Dos mais de 1.500 inscritos, 81 alunos foram classificados. Segundo a Fuvest, as vagas restantes não são transferidas para a seleção via vestibular ou Sisu, uma vez que foram criadas especificamente para essa forma de ingresso.

Para 2020, do total das 11.260 vagas oferecidas para ingresso na USP, 8.317 são destinadas à seleção pelo vestibular da Fuvest, 2.830 pelo Sisu e 113 para os estudantes medalhistas em competições científicas. Vale lembrar que o candidato tem a possibilidade de concorrer pelos três processos seletivos, inclusive para o mesmo curso. Mas, se aprovado, tem que optar por um deles.

Novidades no processo seletivo da USP para 2020

-- Provas impressas em cores, com figuras, mapas, gráficos e outras imagens coloridas
Como era antes: provas impressas em preto e branco

-- Sistema de identificação facial, pelo qual os fiscais comparam a foto cadastrada pelo candidato no sistema da Fuvest no momento da inscrição com a imagem coletada nos dias de prova
Como era antes:  não havia a obrigatoriedade de cadastrar a foto no momento da inscrição; coleta da impressão digital era usada em casos de dúvida

-- Divulgação de 3 listas de chamada de aprovados para a matrícula
Como era antes: publicação de 5 listas

-- 3 diferentes formas de ingresso: vestibular da Fuvest + Sisu + pontuação em olimpíadas científicas
Como era antes: 2 possibilidades -- vestibular da Fuvest + Sisu

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.