Na 2ª fase da Unicamp, redação pede roteiro de podcast ou crônica sobre machismo

Primeiro dia teve também questões de português e interdisciplinares em inglês

São Paulo

A segunda fase do vestibular da Unicamp começou de forma inovadora. Pela primeira vez os alunos tinham que escolher uma entre duas propostas distintas de redação, e os gêneros deste ano não costumam dar sempre as caras: roteiro de podcast, até então inexplorado, e crônica. No podcast, a proposta era relacionar biodiversidade e sociodiversidade; a crônica deveria ser sobre machismo.

Para a professora de redação do Poliedro Campinas, Gabriele Cavalin, mesmo que a pessoa nunca tivesse ouvido um podcast na vida ou lido uma crônica, seria possível cumprir a proposta, já que a principal referência são os textos apresentados pela própria prova.

"A Unicamp não espera que você saiba todos os gêneros textuais possíveis, o que é impossível, mas ela quer que você vista uma máscara e produza um texto que seria aproveitado numa situação real, que pudesse ser de fato publicado. Por exemplo, a crônica, num jornal, e o roteiro, num podcast propriamente dito", conta Vitor Gabriel Lopes da Silva, professor de redação do Cuja, cursinho popular da Unifesp.

Cavalin conta que a maioria dos alunos com quem conversou optaram pela crônica: "machismo é um tema forte nessa geração", avalia. "Por mais que podcast seja um gênero em ascensão, algo para se pensar é se juventude está acostumada a ouvi-los ou se são coisas de jovens 'mais velhos'".

O candidato também precisou responder oito questões de português e literatura, além de duas questões interdisciplinares em inglês.

Vitor Ricci, também do Poliedro Campinas, conta que a prova da Unicamp manteve a tradição de explorar aspectos políticos, como a questão que discutia o filme Bacurau e o processo da formação da palavra "bacuralizar" ou a questão que pedia para analisar a afirmação de que escrever dicionários tem também uma conotação política.

0
Experimentos compõem a praça Tempo & Espaço, no Museu Exploratório de Ciências da Unicamp, em Campinas - Bruno Santos/Folhapress

Para Heric José Palos, coordenador de português do Grupo Etapa, essa não foi uma prova particularmente difícil, embora tenha sido exigente com os fundamentos da disciplina: capacidade de leitura e redacional.

Dos doze livros da lista, três apareceram: "A Teus Pés", de Ana Cristina César; A Falência, de Júlia Lopes de Almeida e "Quarto de Despejo", de Carolina Maria de Jesus. "Propuseram entrecruzamento entre as obras e colocara também um poema do Casemiro de Abreu para ser comparado com o texto da Carolina Maria de Jesus. Era importante que o aluno entendesse a compreensão social de cada personagem, cada narrador, e seu contexto histórico e cultural", diz Serginho Henrique, professor de português do Colégio e Curso Objetivo

Edmilson Motta, coordenador geral do Etapa, diz que as questões de inglês, novidades do exame, eram acessíveis. Os textos eram curtos, de um ou dois parágrafos. Ele classifica a estreia como adequada, no sentido de tornar o inglês uma disciplina mais importante. Uma questão tratava do ataque às Torres Gêmeas em 11 de setembro de 2001 e outra falava sobre os riscos à estabilidade do ecossistema global, o que inclui a perda de diversidade genética.

Segundo a Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp), 12.200 pessoas fizeram a prova neste domingo (13), com uma taxa de abstenção de 10,2%, a menor desde 2017.

No segundo dia, nesta segunda (13) todos os candidatos farão uma prova com seis questões de matemática, duas interdisciplinares de ciências da natureza e duas interdisciplinares de ciências humanas.

Além disso, haverá a prova de conhecimentos específicos, com 12 questões extras a depender da área pretendida. Candidatos da área de ciências biológicas ou da saúde terão seis questões de biologia e seis de química; os da área de ciências exatas e tecnológicas terão seis questões de física e seis de química; por fim, os candidatos das humanidades e artes terão seis questões de geografia e seis de história, que englobam também conteúdos de filosofia e sociologia, de acordo com a Comvest. Nessa fase, em média, há 5,29 candidatos por vaga.

Provas de habilidades específicas, para os que pretendem cursar artes cênicas, dança ou arquitetura e urbanismo, por exemplo, acontecerão entre 20 e 24 de janeiro, em Campinas.

A divulgação dos aprovados em primeira chamada deve acontecer em 10 de fevereiro.
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.