Descrição de chapéu Coronavírus

Confira escolas e faculdades que cancelaram as aulas devido ao coronavírus

Rede pública do Distrito Federal suspendeu expediente por 5 dias; Unicamp e Insper também paralisaram as atividades

São Paulo

A OMS (Organização Mundial da Saúde) decidiu, na quarta-feira (11), declarar que há uma pandemia do novo coronavírus em curso no mundo com a sua disseminação por mais de cem países, em todos os continentes.

A pandemia trouxe reflexos na vida escolar no Brasil. Por ora, já tiveram que suspender suas aulas as seguintes instituições de ensino:

—Colégio Avenues, em São Paulo

—Colégio Vera Cruz, em São Paulo, em duas turmas (ao menos até o dia 13)

—Colégio St Paul's, em São Paulo (a partir de 16 de março)

—Colégio Santa Cruz, em São Paulo (a partir de 18 de março)

—Escola Santi, em São Paulo (a partir de 18 de março)

—São Judas Tadeu (a partir de 23 de março)

— ​São Luís

—Nossa Senhora do Rosário

ESPM (até 20 de março)

— Faap (até 17 de março)

—Faculdade Cásper Líbero (até 20 de março)

—Insper (12 a 23 de março)

—Rede pública de ensino do Distrito Federal (por cinco dias)

—Curso de geografia da USP (por um dia, na quarta-feira)

—Unicamp (até 29 de março)

—ESPM (até 20 de março)

—Belas Artes (até 22 de março)

— Ufscar (a partir de 16 de março)

— USP (a partir de 17 de março) ​

—Unesp (a partir de 17 de março)

—Ufscar (a partir de 16 de março)

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, publicou vídeo nas redes sociais nesta quarta em que sugere a instituições de ensino se prepararem para atividades escolares a distância por causa do coronavírus.

Para o ministro, é importante que escolas e faculdades pensem em um "cenário de contingência", tenham prontos planos de aulas remotas e evitem eventos com aglomeração de pessoas. Ele também citou a possibilidade de alterações no período de férias.

"[Em] uma cidade ou região que precise ter uma atenção mais especial [é importante] que nós tenhamos prontos planos de aulas remotas. Você manda aulas para os alunos, disponibiliza o email, Youtube, Skype, internet para evitar aglomeração, evitar transmissão mais aguda do coronavírus", disse no vídeo.

Cabe a estados, municípios e a escolas e faculdades particulares definirem os calendários de aulas. As universidades federais também têm autonomia para tratar dessas questões.

De acordo com Weintraub, o MEC está se preparando "sempre orientado pelo Ministério da Saúde para, caso venha a acontecer qualquer coisa, os danos sejam os menores possíveis".

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ponderou que a suspensão de aulas na educação básica pode agravar riscos para avós das crianças, público de risco mais elevado para a doença.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que declarar pandemia não significa que a situação está fora de controle nem que o mundo deva abandonar as medidas de contenção e passar a pensar em mitigação. Pelo contrário: ele pediu ações mais agressivas.

Representantes da OMS afirmam que a declaração é uma caracterização da percepção do momento, portanto, as ações da agência da ONU não serão alteradas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.