Descrição de chapéu Coronavírus

Graduações da saúde ganham aval para retorno de aulas presenciais em SP

Em cidades paulistas que estão na fase amarela, cursos funcionarão com aulas apenas para 20% dos alunos

São Paulo

Os cursos da área da saúde em São Paulo poderão voltar a ter aulas presenciais, ainda que sejam de disciplinas teóricas. A medida vale apenas para os cursos de medicina, farmácia, enfermagem, fisioterapia e odontologia.

Rossieli Soares, secretário de Educação da gestão Doria, afirmou nesta sexta-feira (7) que as atividades de internato e estágio regular podem voltar a acontecer presencialmente, ainda que com restrições, não importando a fase de flexibilização da quarentena em que a região se encontre.

Já as aulas presenciais de disciplinas teóricas poderão ser feitas para 20% dos alunos em unidades que estiverem em regiões na fase laranja. A partir da fase amarela, ficam liberados 40% dos alunos; e 60% na fase verde.

O governador João Doria (PSDB) já havia liberado a retomada das aulas presenciais para cursos de ensino superior e técnico, mas apenas para atividades laboratoriais que não pudessem ser feitas a distância. A medida também só valia para unidades em municípios há mais de duas semanas na fase amarela.

"Para esses cursos, não podemos ter um hiato na formação. Manter a formação desses profissionais é importante para garantir o atendimento de saúde da nossa população, por isso, entendemos que a liberação das aulas é importante", disse Soares.

"Exatamente por serem cursos da área da saúde, sabem muito bem o que precisa ser feito para garantir a saúde de seus alunos e professores", completou o secretário.

A medida vale para cursos em faculdades particulares e universidades públicas.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.