Descrição de chapéu Opinião

Descubra sua causa, exerça sua cidadania e transforme o mundo

Paula Fabiani

Filantropia, o que significa esta palavra? São várias as definições: generosidade para com o outro, profundo amor à humanidade, ato de ajudar o próximo.

Em países de origem anglo-saxã, temos a participação comunitária e a doação como pontos de expressão dos valores dessas sociedades. Mas e no Brasil? Onde está a filantropia brasileira e o engajamento cívico?

Segundo a Pesquisa Doação Brasil, realizada pelo Idis (Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social) em 2015, 77% dos brasileiros fizeram algum tipo de doação. Desses, 62% doaram bens, 52% doaram dinheiro e 34% doaram seu tempo em algum trabalho voluntário. Porém, de lá para cá, esses indicadores caíram muito, provavelmente devido à longa crise econômica e política que atravessamos.

Em valores monetários, as doações feitas por indivíduos, em 2015, chegaram a R$ 13,7 bilhões, valor que corresponde a 0,23% do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil. Pode parecer muito, mas ainda é pouco. Se usarmos o exemplo dos EUA, veremos que lá o montante chega a 2,1% do PIB. Ou seja, ainda podemos crescer e muito!

Também de acordo com esse estudo, o brasileiro não fala sobre suas doações, ainda não compreende o potencial transformador de uma doação, alguns não confiam nas organizações da sociedade civil e muitos não têm claro qual a sua causa preferida, o que gostaria de (e poderia) mudar na nossa sociedade. 

Para enfrentar essas barreiras, incentivar e promover a ampliação da nossa cultura de doação, o Idis e seus parceiros lançaram uma campanha que, sem qualquer modéstia, acreditamos que será um divisor de águas no engajamento das pessoas em causas. 

Descubra qual é a sua causa! Este é o teste inicial da campanha. Ele ajuda a descobrir o perfil de cada doador por meio de cinco personagens que representam um conjunto de causas ligadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU, as 17 metas que se propõem a erradicar a pobreza, combater a desigualdade e frear o aquecimento global até 2030.

É como um jogo de perguntas e respostas cujo resultado, se cada um de nós levar adiante e se engajar, poderá transformar milhares de vidas e o planeta. Você já pensou qual é a sua causa?

É preciso entender que nós, sociedade civil, instituições não governamentais, cidadãos comuns, temos que exercer nossa cidadania e nosso poder de voz. A doação é um caminho muito poderoso e importante em vários países, e o Brasil precisa avançar.

Outro ponto importante da campanha é indicar as instituições que se encaixam nas causas de cada um. A ideia é que a campanha funcione como uma ponte entre você e as organizações que já estão trabalhando nas causas que você defende.

Elas estão cadastradas no Mapa das Organizações da Sociedade Civil do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). No final do texto, de acordo com seu perfil, você terá uma ampla lista para avaliar e escolher, além de encontrar outras fontes de informações e plataformas de doação diversas. 

Agora é com você. Entre no site, conheça suas causas, se engaje, doe e ajude a melhorar nosso país e o mundo. Faça parte deste movimento!

Paula Fabiani

Diretora-presidente do Idis (Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social), parceiro do Prêmio Empreendedor Social

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.