Tributo a médico que criou carretas da saúde reúne amigos e familiares em SP

Médico e empreendedor social Roberto Kikawa foi morto em novembro durante assalto

São Paulo

Cerca de 200 pessoas estiveram na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo), na segunda-feira (10), para prestar uma homenagem ao médico Roberto Kikawa, morto em 10 novembro após tentativa de assalto em São Paulo. Fundador do Cies Global, ele ficou conhecido como criador das carretas da saúde, unidades móveis que levam atendimento médico a áreas desassistidas. 

Acompanharam a cerimônia outras 4.000 pessoas pela transmissão ao vivo realizada em rede social. O tributo reuniu depoimentos de familiares, amigos, representantes de organizações parceiras, apoiadores, pacientes e colaboradores do Cies.

Homenagem ao médico Roberto Kikawa realizada na segunda-feira (10), na Alesp
Homenagem ao médico Roberto Kikawa realizada na segunda-feira (10), na Alesp - Divulgação

Kikawa era integrante das redes Schwab e Folha e venceu o Prêmio Empreendedor Social em 2010. Em nome da Folha, Eliane Trindade, editora do Prêmio Empreendedor Social, falou sobre a importância de seu trabalho.

"Roberto Kikawa nos deixou bem mais do que o Cies Global como legado. Deixou o exemplo de homem, médico e empreendedor social que com visão, propósito e generosidade impactou a vida de todos nós: amigos, pacientes e colegas empreendedores sociais."

Entre as homenagens da noite, o deputado estadual Carlos Bezerra Jr. (PSDB-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alesp, chamou a atenção para o papel de inspiração de Kikawa na abertura do evento.

“É incrível como o sonho do Roberto foi inspirador e agregou mais pessoas à causa. Se estamos aqui é porque fomos tocados pela vida dele. Ele foi uma daquelas poucas pessoas que se vão, mas a vida segue ecoando em cada um de nós.”

Yusuru Ishihama, presidente do Conselho do Cies Global, se pronunciou em nome da organização. “A intenção nunca foi seguir sem o Roberto. Mas ele, com sua sabedoria que sempre impressionava, soube preparar o grupo para qualquer tipo de evento, incluindo a sua ausência. Com todo empenho e dedicação, vamos manter viva a vocação do Cies, criada para oferecer atendimento baseado no amor e compaixão ao próximo.”

Romilda Camillo, que passou por consulta, exames e cirurgia de catarata no Cies Global, falou sobre a experiência do atendimento como representante da missão de Kikawa.

“Estou enxergando hoje graças ao doutor Roberto Kikawa. Obrigada, doutor, por essa equipe maravilhosa que o senhor montou. Por essa família Cies que eu hoje só tenho o que agradecer. Hoje eu tenho o prazer de estar aqui e falar para vocês que sou feliz por tê-lo conhecido pessoalmente, por ter dado um abraço de gratidão.”

Outros participantes também prestaram homenagens a Roberto Kikawa durante o evento. Para finalizar, o cantor e compositor Jorge Camargo apresentou uma música dedicada à história de vida do médico, composta enquanto ele ainda estava vivo.

A canção "Deixa a Vida se Multiplicar" fala sobre a promessa que Roberto fez antes de o pai morrer. O juramento consistia que ele fosse um médico mais humano e que cuidasse de quem mais necessitava.

Leia alguns trechos de depoimentos dos participantes e homenagens recebidas:

“O que mais me chama a atenção é que Roberto era humilde e simples. Não fazia questão de exibir para nós todos os reconhecimentos que tinha. Eu via o ‘Beto’ como família. Lembro que ele gostava de cozinhar para nós, principalmente aquilo que ele conheceu em um lugar ou outro no mundo. Eu realmente não imaginava o tamanho da envergadura desse projeto e hoje reconheço o quanto fazia a diferença no mundo. Se ele tivesse sobrevivido àquele assalto, eu acredito que ele estaria na cama com rascunhos sobre algum projeto para ajudar a evitar esse problema justificando-se que as pessoas estão doentes e ele precisava fazer alguma coisa”

Marcelo Hatanaka, cunhado de Kikawa que, junto ao filho do médico, Daniel, representou a família

“Lembro bem que Roberto me apresentou ao grupo em uma edição do Fórum Econômico Social para a América Latina, sediado no México. Eu estava apenas começando nesse novo trabalho e ele não tinha a obrigação de ter feito aquilo para mim, mas escolheu fazer de forma generosa, como de costume. Por essas e outras situações ele merece minhas honras e reconhecimento como amiga, como representante da Rede Folha e como brasileira”

Eliane Trindade, editora do Prêmio Empreendedor Social

“Decidi investir em um negócio social depois que vivi dias de sofrimento enquanto meu pai precisava de um transplante e conheci diversas histórias de pessoas necessitadas de cuidados em nosso sistema público de saúde. Na busca, conheci Roberto Kikawa. Uma mente brilhante. Um cara visionário. Eu ficava com dor de cabeça tentando acompanhar o raciocínio e tudo o que ele falava virava realidade”

Frances Fukuda, investidora do CIES Global

"O Cies é mais que evolução. É inspiração divina. E isso assusta muitos. Nossa pedra filosofal é o DNA do amor e este é o verdadeiro manifesto do Cies"

Ricardo Lauricella, diretor de Comunicação e Marca do Cies Global

“Ele me desafiava sempre, desde criança. Um grande desafio foi começar a trabalhar com ele. Nem sei em quantas favelas eu entrei. Em São Paulo, em Heliópolis; no Rio de Janeiro, no Morro do Alemão. Na Colômbia, no Paraguai, até nos Estados Unidos ele queria me levar para uma favela. Que energia ele tinha! Não parava. Ele tinha pressa de realizar o sonho que Deus colocou no coração dele”

Iseli Reis, prima de Kikawa e arquiteta da Fleximedical, empresa que fornece e mantém unidades móveis e modulares para atendimento do Cies Global

“Um dia Roberto chega com uma ideia maluca: um caminhão no estilo 'transformer' que se transformaria numa clínica e que iria à beira das comunidades parar oferecer medicina diagnóstica. Analisei os números e, como amigo do Roberto, disse que ele faliria em três meses. Hoje você está operando em hospitais que recebem pessoas de renome. Vai largar sua carreira para uma ideia tão louca? Eu me lembro que o Roberto me disse: ‘Marcos, eu não estou aqui para pedir a sua opinião sobre isso. Estou aqui para pedir a sua ajuda. Quero saber se você vai me ajudar ou não'. E foi assim que o Cies começou com uma ideia maluca, aparentemente insustentável e se tornou um projeto sustentável de alguém que não desistiu e, dessa forma, pode impactar milhões de pessoas”

Marcos Abe, amigo de infância de Roberto Kikawa e parceiro do Cies Global

“A dedicação de Roberto Kikawa em prol do SUS e dos mais vulneráveis é exemplo para homens públicos e sociedade. Seu trabalho pode ser visto em todos os cantos de São Paulo, com as carretas de saúde, legado que ajuda os que mais precisam de saúde pública”

Bruno Covas, prefeito de São Paulo

“Roberto Kikawa sempre foi um empreendedor em série: incansável, humano, visionário. Sua energia e busca pelo direito universal à saúde impactaram não apenas as pessoas que puderam se beneficiar de suas inovações, mas todas as que de alguma maneira puderam compartilhar de seus ideais. Sentiremos muito sua falta”

Mirella Domenich, Ashoka Brasil

"A falta do nosso amado companheiro Roberto Kikawa será profundamente sentida pela comunidade da Ashoka. Roberto costumava estar bastante envolvido com a Ashoka em vários países, contribuindo com sua empatia e seu conhecimento e recebendo apoio dos colegas. Foi ótimo acompanhar o sucesso impressionante que ele teve ao levar o Cies ao extraordinário alcance e impacto que a organização alcançou em tão pouco tempo. Se puder haver algum conforto neste momento de dor, é que seu legado permanecerá"

Bill Drayton, fundador da Ashoka

“Com choque e grande tristeza soube da trágica morte de Roberto Kikawa. Ele não era só exemplo para o empreendedorismo social, mas colega e amigo em nossa comunidade, além de voz respeitada no Fórum Econômico Mundial”

Hilde Schwab, presidente da Fundação Schwab

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.