Maioria dos escolhidos em edital de reaplicação de tecnologias sociais é do Nordeste

O resultado foi anunciado pela Fundação Banco do Brasil e pelo BNDES

São Paulo

​Das 11 entidades selecionadas no edital de reaplicação de tecnologias sociais, lançado pela Fundação Banco do Brasil e pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), cinco são do Nordeste.

Estão abertas as inscrições no Prêmio Empreendedor Social 2019! Inscreva-se

O Norte teve duas instituições escolhidas, assim como o Sul. Já o Centro-Oeste e o Sudeste tiveram uma cada. Os projetos podem receber investimentos de R$ 500 mil a R$ 1 milhão.

Conforme o edital, as organizações com diretorias compostas por, no mínimo, 50% de mulheres ou que possuam tecnologia certificada pela Fundação BB receberam bonificação extra.

Tecnologia social pode ser produto, técnica ou metodologia, reunindo conhecimento científico e popular. A comunidade participa da sua implementação, sendo fácil a reaplicação da iniciativa em outros lugares.

 O investimento na seleção, segundo divulgado, é de R$ 10 milhões e poderá ser ampliado.

Trabalhadores na horta
O Caatinga (Centro de Assessoria e Apoio aos Trabalhadores e Instituições Não Governamentais Alternativas) atua na luta pelo direito à alimentação, segurança alimentar e economia familiar - Caatinga.org.br/Reprodução

Confira os escolhidos:

- Centro de Assessoria e Apoio aos Trabalhadores e Instituições Não Governamentais Alternativas - Caatinga (região Nordeste)

- Polo de Proteção da Biodiversidade e Uso Sustentável dos Recursos Naturais - Poloprobio (Norte)

- Instituto Lixo e Cidadania (Sul)

- Centro de Desenvolvimento Agroecológico do Cerrado - Cedac (Centro-Oeste)

- Design Possível (Sudeste)

- Centro Feminista 8 de Março (Nordeste)

- Associação dos Produtores Rurais De Carauari – Asproc (Norte)

- Serviço De Tecnologia Alternativa - Serta (Nordeste)

- Associação Cristã de Base (Nordeste)

- Fundação Universidade de Cruz Alta (Sul)

- Casa Da Mulher do Nordeste (Nordeste)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.