'A gente só tinha luz por três horas', diz líder comunitário do AM

Associação de Produtores Rurais de Carauari fez parceria com a Litro de Luz, finalista do Troféu Grão, para beneficiar 620 famílias no Médio Juruá

Eliane Trindade Rodolfo Stipp Martino
Carauari (AM)

A chegada de lampiões de garrafa PET alimentados por placas solares foi um dos impactos mais positivos na região do Médio Juruá (AM) nos últimos anos.

A avaliação é de Manuel Cosme Siqueira, presidente da Asproc (Associação de Produtores Rurais de Carauari), parceiro da ONG Litro de Luz no programa que iluminou a vida de 620 famílias espalhadas por mais de 40 comunidades ribeirinhas. 

Foi um grande presente, diz ele, para comunidades que só podiam contar, no máximo, com três horas por noite com energia fornecida por geradores a diesel.

A tecnologia simples, sustentável e eficiente chegou ao Amazonas numa parceria com a ONG presidida no Brasil por Lais Higashi, administradora de 27 anos que disputa a categoria Troféu Grão do Empreendedor Social 2019.

A Escolha do Leitor está com votações abertas; conheça os finalistas e participe

A ação foi viabilizada por meio do programa Território Médio Juruá, que conta com o financiamento da Usaid (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional), da Natura e da Coca-Cola Brasil, com coordenação da Sitawi Finanças do Bem.

A Litro de Luz  leva iluminação para locais sem acesso à energia elétrica em pleno século 21, a um custo baixo e de fonte renovável. 

“Energia é a base de todas as atividades”, afirma Manuel.

A seguir, o depoimento do líder comunitário sobre o impacto na região.

A Associação de Produtores Rurais de Carauari busca encontrar políticas e meios para melhorar a qualidade de vida das famílias da região do Médio Juruá.

A iluminação é uma das grandes deficiências, e a gente identificou, em um levantamento feito com entrevistas, que era uma demanda urgente. 

As comunidades até têm o motor de luz, mas funciona três horas por noite, no máximo, e é muito caro. A gente precisava de energia eficiente e barata.

 Em um evento em Belém, tivemos oportunidade de conhecer o pessoal da Litro de Luz. Eles fizeram uma apresentação da tecnologia e ficamos encantados. Era exatamente o desejo da região. Levar iluminação de qualidade e sem custo para as famílias.

Nesse período, um dos nossos projetos foi, justamente, o da iluminação, dentro do Programa Território Médio Juruá.

Nossa ideia era atender o maior número de pessoas. Colocamos como meta 600 famílias e lançamos o edital para identificar possíveis instituições que pudessem fornecer essa energia. 

Quando analisamos [as propostas], vimos que a da Litro de Luz tinha maior viabilidade e era a que mais ia ao encontro da nossa necessidade para suprir a demanda.

Fizemos uma pesquisa de preço, solicitamos que a Litro de Luz apresentasse o seu orçamento e a proposta. Então, a gente conseguiu contratá-la para implementar o projeto.

O impacto é um dos mais positivos que nós tivemos na região. Isso a gente fala com toda a certeza depois de ter conversado com as famílias.

As comunidades, que tinham de duas a três horas por dia de energia, hoje têm praticamente 12 horas de energia dentro da sua casa, para poder se alimentar, fazer atividades. A energia não tem custo e é sustentável.

Uma das atividades neste projeto foi capacitar os embaixadores [moradores que atuam como pontos centrais no contato da organização com a comunidade e ajudam a difundir as informações] para que eles mesmos possam fazer a manutenção nos equipamentos.

Energia é a base de todas as atividades. Para todas as atividades que você exerce, você vai precisar sempre.

São 53 comunidades beneficiadas. Na região, tanto na RDS (Reserva de Desenvolvimento Sustentável) Uacari quanto na Resex (Reserva Extrativista), o perfil do morador é de quem vive da agricultura familiar, da pesca sustentável e de atividades produtivas sustentáveis.

A ideia é que a gente possa, a cada dia, diminuir a produção de farinha e investir em cadeias que são mais sustentáveis, com menos sacrifício e mais geração de renda.

O município de Carauari tem cerca de 28 mil habitantes, e entre 3.000 e 4.000 deles ficam nas unidades de conservação e na área de entorno, chamada de Médio Juruá.

Nesta área imensa, uma das grandes dificuldades é o meio de transporte exclusivamente fluvial. A gente leva até 52 horas para sair da sede do município e chegar à última comunidade.

Isso também foi um grande desafio, levar a Litro de Luz a essas comunidades. 

Com a parceria de todos, a gente conseguiu nosso objetivo de levar a luz até a última comunidade. O que tem sido um presente para a região do Médio Juruá.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.